sábado, 23 de maio de 2015

O Derramamento do Espírito - Isaías 44:3-5

Tema: O Derramamento do Espírito Santo
Isaías 44:3-5

Amadas irmãs e amados irmãos, graça e paz em Cristo Jesus

Quero compartilhar com vocês neste domingo sobre um assunto que fervilha em meu coração – o derramamento do Espírito Santo. Este sermão nasceu de uma leitura do livro Derramamento do Espírito do Reverendo Hernandes Dias Lopes, de onde extraio grande parte das citações nesta mensagem. Uma das características de um pregador íntegro é citar as fontes daquilo que prega. Obviamente que dou minha identidade ao conteúdo.  
A passagem que lemos diz que Deus derramará água sobre o sedento e torrentes sobre a terra seca. Derramamento do Espírito Santo é falar de avivamento espiritual e avivamento começa exatamente quando a igreja sente que está vazia, seca e árida. Então, como solo seco e sedento, ela clama pelas chuvas torrenciais do Espírito Santo. Deus não derrama seu Espírito sobre uma igreja auto-suficiente e arrogante e cheia de soberba.
Precisamos admitir irmãs e irmãos que o maior obstáculo ao derramamento do Espírito Santo é o pecado da igreja. Não podemos fingir que não vemos através de escândalos diversos que a realidade é de crentes acostumados com o pecado e com a vida descompromissada. Os empregados crentes fazem corpo mole no trabalho e são relapsos; os patrões crentes muitas vezes agem como aqueles que não conhecem o Senhor; os estudantes crentes são alunos medíocres e não dão o melhor de si em seus estudos, os cônjuges crentes são amargos, vivem em constante discussão com maridos brutos e esposas sem sabedoria, os jovens crentes não tem tido pureza no namoro, as jovens se casam grávidas e o povo de Deus já não fica mais corado de vergonha diante do que assistem na televisão, além de péssimos filhos. Algumas pessoas vão à igreja familiarizada e não tem mais prazer na casa de Deus. Se não bastasse, a hipocrisia e o farisaísmo são base das ações de muitos líderes nas igrejas. Muitos usam máscaras, sendo verdadeiros atores. O pecado da mágoa e do ressentimento ocupam os corações e a igreja repleta de pessoas com feridas abertas e não curadas. Querem dar a impressão de que a luz de Deus ainda está em seus rostos, como estava no rosto de Moisés (II Coríntios 3:13), “tendo forma de piedade, mas negando-lhe, entretanto, o poder.” (II Timóteo 3:5)
O povo de Deus está precisando de restauração e purificação. Só o Espírito Santo pode convencer-nos de pecado (João 16:8-9). Só as águas do Espírito podem trazer essa purificação. Quando o Espírito é derramado, há sede de santidade. Há abandono do pecado e uma atração divina para um novo viver. Deus quer trazer sobre a Sua igreja o derramar do Seu Espírito.
Apesar do quadro, não há motivos para desespero. O derramamento do Espírito é precedido de uma consciência de crise, seja ela qual for. Quando pensam que é o fim da igreja, no fracasso dos homens, Deus se manifesta para avivar o Seu povo. Deus quer se derramar sobre todos nós e sobre todas as igrejas. Aleluia!

1.O derramamento do Espírito é promessa de Deus (“Porque derramarei v.1)
Talvez aqui hoje você seja uma dessas pessoas que vive uma verdadeira estiagem espiritual. Se vê seco, árido como um deserto, sem verdor e sem frutos, com o seu ministério enterrado, frio espiritualmente e em crise consigo mesmo ou com Deus pelas circunstâncias da vida, por feridas ou sonhos frustrados. Deus quer falar com você hoje! Deus quer por um basta nisso tudo hoje.
a.Ouça o ruído de abundantes chuvas – A despeito da crise, cremos numa coisa nova de Deus à nossa vista. Você não está aqui por acaso domingo após domingo porque não tem o que fazer em casa. O céu pode estar claro, sem prenúncio de chuva, mas os Elias de Deus estão vendo! Uma nuvem do tamanho da palma da mão, anunciando as chuvas torrenciais do Espírito (I Reis 18:41-45). Assim como Elias orou, Deus chama a igreja a se ajoelhar e orar. Já se ouve o barulho no vale de ossos secos (Ezequiel 47). Derramamento do Espírito é para quem tem expectativa no meio do nada. Agora não vejo nada, mas Deus está colocando de pé um numeroso exército. O deserto florescerá (Isaías 35:1-2). No lugar do espinheiro, crescerá a cipreste (Isaías 55:10-13). Esse derramar não é produzido por nós, não procede da igreja. Deus procura fé expectante. Cadê sua fé? Sem fé é impossível agradar a Deus! (Hebreus 11:6) Por isso, veja sobre sua vida a nuvem do tamanho da mão de um homem; veja na sua mão a botija da viúva com o resto de azeite disponível; veja um exército se pondo em pé nesse vale de ossos secos.
b.É promessa segura de Deus. É promessa de Deus! É Palavra de Deus! As promessas de Deus são fiéis e verdadeiras (Apocalipse 3:14). Deus não é homem para mentir e nem filho do homem para que se arrependa (Números 23:19). Céus e terra passarão, mas a Palavra de Deus não passa sem que nada se cumpra (Mateus 24:35). “Agindo eu, quem impedirá?” (Isaías 43:13). Os homens podem não cumprir com a sua Palavra, mas Deus vela pela Sua Palavra. Sabe igreja, quando dizem que não tem mais jeito, que passou o tempo, que acabou e não tem o que fazer e que é o fim? Eu creio em um Deus que faz nova todas as coisas. Derramamento do Espírito nestas circunstâncias é Deus sendo verdadeiro e todo homem mentiroso. É o barro nas mãos do oleiro. Deus é soberano e Senhor de todas as coisas. A palavra final de todas as coisas na sua vida é de Deus!
c.É promessa abundante de Deus. Deus fala de torrentes. “pois águas arrebentarão no deserto, e ribeiros, no ermo. A areia esbraseada se transformará em lagos, e a terra sedenta, em mananciais de águas; onde outrora viviam os chacais, crescerá a erva com canas e juncos.” (Isaías 35:6b-7) Para haver tanta água assim precisa haver chuva abundante, degelo nas montanhas congeladas. O que Deus está comunicando através da Sua Palavra? I.Não podemos nos contentar com o pouco do Espírito em nossas vidas; II.Deus não é mesquinho quanto a derramar de Si mesmo sobre nós. Basta olhar a história da viúva cujo azeite jorrava enquanto havia botija (II Reis 4:5).

2.O derramamento do Espírito é vital para a igreja (“água...torrentes...correntes de água” v.1)
Água é um dos símbolos para o Espírito Santo e extremamente vital para a vida na terra de qualquer espécie. Não há vida física sem água, assim como não há vida espiritual sem o Espírito Santo.
a.Água é necessário para a vida. Sem água, não há vida. Sem água, a semente não germina. Sem água, não há flores nem frutos. Assim, sem o derramamento do Espírito, nossa vida ficará árida, seca, desertificada. Não haverá frutos e todo esforço do nosso trabalho vazio. “Não é por força nem por violência, mas pelo Espírito de Deus que a igreja prevalece.” (Zacarias 4:6) Onde existe água não existe terra ruim. Onde o Espírito de Deus está não existe terra ruim. Em Ezequiel 47 fala de um rio que flui do templo de Deus; “Toda criatura vivente que vive em enxames viverá por onde quer que passe esse este rio, e haverá muitíssimo peixe, e, aonde chegarem estas águas, tornarão saudáveis as do mar, e tudo viverá, por onde quer que passe este rio.” (Ezequiel 47:9). Aleluia igreja! Você é esse Templo onde habita esse rio que é o Espírito Santo, que Jesus declarou que fluiria do nosso interior, rios de águas vivas. Deus quer derramar torrentes sobre nós para que tenhamos alimento para nós e para outros à nossa volta; onde houver morte você levará a vida de Jesus. Glória a Deus! Nós somos pó. O pó só levanta sob o soprar do vento. Quando cessa o vento, o pó cai no chão. Nós somos o pó, por isso, precisamos do sopro do Espírito sobre nós trazendo vida!
b.Água é necessário para limpar e purificar. Vimos na introdução na condição das pessoas hoje na igreja em geral. Avivamento é mudança de vida e sede de santidade. Portanto, não há derramamento do Espírito sem abandono do pecado. Pedir avivamento é tratar de forma séria o pecado. Se o pecador fizer como Davi fez e relatou no Salmo 51, Deus se perdoará e purificará o pecador arrependido. Nosso Deus é gracioso.

3.O derramamento do Espírito virá sobre os sedentos (“sedento...terra seca” v.1)
Igreja, Deus só se derramará onde houver reconhecimento da sede, do deserto, da terra seca. Deus não derrama seu Espírito sobre o auto-suficiente, arrogante e soberbo. Avivamento não é realização pessoal, mas quebrantamento. Não é buscar a benção, mas o abençoador. É ansiar mais por Deus do que pelo que Ele pode lhe oferecer. “Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim por ti, ó Deus, suspira a minha alma. A minha alma tem sede de Deus, o Deus vivo.” (Salmo 42:1-2). “Buscar-me-eis e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração.” (Jeremias 29:13).
Quando a sede de Deus for tão forte em nós, que a maior e a mais urgente necessidade do nosso ser for o próprio Deus, o avivamento virá do céu. Quando Deus for mais necessário que a saúde, que o dinheiro, que a solução imediata dos problemas, quando Deus for mais necessário do que a realização ministerial, mais do que qualquer outra coisa nessa vida, Deus se derramará e a nossa vida passará a ter propósito. Quem está saciado sabe qual é o propósito da sua vida! Está pleno em Deus e sua agenda, a agenda da sua vida passa a caminhar no mesmo tempo de Deus. Sua vida caminha no compasso de Deus.
Rodrigo Rodrigues Lima
Pastor

Nenhum comentário:

Postar um comentário