quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Revitalização - Tito - O pastor revitalizador

TITO - O pastor revitalizador

O nome de Tito é mencionado 13 vezes nas cartas de Paulo.
Em II Coríntios (2:13; 7:6; 7:13-14; 8:6; 8:16; 8:23; 12:18)
Em Galatas (2:1; 2:3)
Em II Timoteo (4:10)
Em Tito (1:4)

Observo que Tito foi alguém muito presente no ministério de Paulo. Ele o acompanhou em Jerusalém, o serviu de consolo em um momento difícil e sempre esteve a disposição para o apoiar segundo a necessidade das igrejas. A convivência com Paulo e a intensa participação no dia a dia das igrejas em crise contribuíram para a formação do perfil de Tito como um pastor revitalizador. Certamente muito do que Tito aprendeu foi na “fogueira”, não sem acompanhamento e orientação.
Observando Tito aprendo que:

     1.O revitalizador precisa ter um mentor (1:4)

Paulo o chama de verdadeiro filho. Conforme passagens mencionadas acima vemos uma estreita relação de discipulado. A convivência forma Tito. Ao observar como Paulo fazia e tendo a oportunidade de replicar, Tito aprende a plantar e revitalizar igrejas. É benção ter um mentor experiente para auxiliar a fazer gestão da revitalização. O mentor:

A) Auxilia o revitalizador a manter o foco (1:4-5)
Há um foco bem definido na missão de Tito como revitalizador da igreja em Creta. Paulo o orienta sendo presente através de contato (1:4) lhe enviando uma carta. O revitalizador precisa do apoio de seu mentor através de contato o auxiliando a recalibrar o foco de sua missão (1:5).

B) Auxilia o revitalizador com palavras diretivas e encorajamento (1:13; 1:15)
O mentor de Tito o empodera e o encoraja. É muito importante no processo de revitalização que o pastor revitalizador possa contar com pessoas que o empoderem e o encorajem a seguir com sua missão.
Fica evidente que Paulo é o responsável pela igreja em Creta. Entretanto, o princípio de mentoria numa revitalização permanece. É saudável que o pastor revitalizador voluntariamente se submeta a um cuidado de mentoria pessoal e ministerial. Todo pastor revitalizador deveria pensar em ter alguém que invista tempo em sua vida lhe fazendo perguntas e o auxiliando a manter o foco.

      2.O revitalizador é um capacitador e formador de líderes (1:5-9; 2:7; 3:13)

Ao observarmos as atribuições de Tito fica evidente que em um processo de revitalização, seu principal trabalho é formar liderança. Neste sentido o revitalizador:

A) Identifica líderes e os constitui (1:5-9)

I. Ter intencionalidade em identificar líderes (1:5)
No processo de revitalização a principal atribuição do pastor revitalizador é formar líderes. Uma igreja que cresce não se sustenta sem uma boa base de líderes. Talvez seja esse o seu maior desafio em todo o processo.

II. Ter critérios claros para selecionar os líderes (1:6-9)
O revitalizador precisa ser uma pessoa com critérios claros para identificar líderes. Observo que as igrejas que mais tem crescido e se revitalizado possuem um clara trilha de formação de líderes. A falta de critérios compromete o surgimento de líderes saudáveis. Esse tema abordaremos mais detalhadamente em outro tópico.

B) É modelo de liderança (2:7-8)
O líder sempre é modelo, mas numa fase de revitalização o ensino e a conduta do pastor revitalizador falará mais alto. Uma igreja que precisa de revitalização necessita de um modelo vivo que evidencie que o que está sendo proposto dá certo. Ele é o modelo de que a oração, o testemunho, a reverência, enfim, tudo o que é e faz realmente é possível. O pastor revitalizador também deve ser modelo dos critérios que estabelecerá na formação dos líderes. O líder modela pelo que faz e pelo que não faz todo o tempo. Ninguém pode oferecer o que não recebeu.

C) Forma equipes para enviar (3:13)
Esse aspecto é interessantíssimo. Penso que o destaque especial de Paulo a Zenas e a Apolo revela que eles mereciam uma atenção especial e possivelmente fossem os melhores líderes. Esses certamente foram trazidos por Tito para uma proximidade maior, não para que ficassem com ele em Creta, mas para serem preparados e enviados.

      3.O revitalizador deve ser hábil em relacionamentos interpessoais (1:13; 1:15; 3:8-11)

O Pr Ziel Machado sempre cita uma frase de sua mãe quando aborda relacionamentos na igreja. “Viver com os irmãos no céu, oh que glória! Viver com os irmãos na terra é outra história.” O pastor revitalizador certamente enfrentará conflitos nos relacionamentos. Toda mudança ou ajustes geram conflitos. Então o que fazer?

A) Ter convicção da sua vocação e da sua missão (1:5)
Saber exatamente o que deve ser feito e estar ciente de onde se quer chegar ajuda muito o pastor revitalizador a lidar melhor com os relacionamentos interpessoais e os conflitos. Um líder inseguro quanto a sua vocação e missão certamente será engolido. Tito está em Creta por uma designação divina. O melindre e a intimidação são frutos da falta de convicção e autoridade.

B) Ter convicção e amar o suficiente para confrontar (1:13)
A convicção deve ser na sã doutrina. A sã doutrina deve modelar tanto o ensino quanto a conduta. Sendo o pastor revitalizador o modelo (2:7-8), ele confrontará pela causa maior que é a verdade visando a saúde da igreja. A igreja em fase de revitalização precisa de um líder hábil em resolver conflitos.

C) Ter convicção a tal ponto de evitar os facciosos (3:10-11)
O coração genuinamente pastoral não quer perder pessoas. Entretanto, é de suma importância saber lidar com pessoas assim, especialmente se elas têm poder de influência. A transparência e o diálogo com ações bíblicas é o caminho da saúde. Jesus nos orienta em Mateus 18:15-17 que o confronto deve ocorrer e estabelece etapas. Relacionamento resolve relacionando-se.
Uma das grandes chaves do sucesso na revitalização é a habilidade de se relacionar. É essencial para que possa haver mudanças necessárias.

      4.O revitalizador deve conhecer a cultura local (1:12-13)

Paulo descreve o modo de viver dos cretenses, logo, ele aponta para a cultura na qual a igreja está inserida. Revitalizar a luz da Palavra de Deus significa constituir uma igreja que não apenas vive uma contra-cultura, mais esteja apta a transformar a cultura na qual está inserida.

      5.O revitalizador deve ter profunda convicção doutrinária (1:13; 2:1; 2:7; 2:11-15; 3:1; 3:4-8)

A base da revitalização está na mensagem. É na pregação e no ensino do Evangelho que haverá a genuína transformação. Portanto, tanto a paixão com que se prega e ensina, quanto o conteúdo da pregação e do ensino são elementos essenciais no processo de revitalização. Não se trata de uma mensagem de auto-ajuda. Também não se trata de anunciar somente o que se tem domínio. Tem que ser pregado todo o desígnio de Deus.
Por isso, ele será capaz de repreender para que se tornem sadios na fé (1:13). Poderá ensinar e exortar (2:1; 2:6; 2:15) com toda autoridade. Sua autoridade está no conteúdo da mensagem e na vida (2:7). Ele deve conhecer tão profundo a ponto de falar com ousadia (2:8).
Vale ressaltar que se observamos os grandes avivalistas, o conteúdo de suas pregações e ensino giraram em torno da mensagem central do Evangelho. Palavras chaves na recomendação de Paulo a Tito quanto ao que deveria ser pregado com ousadia: GRAÇA; ESPERANÇA; IMPIEDADE; REGENERAÇÃO; CRISTO; SALVADOR; BOAS OBRAS; PURIFICAÇÃO; VIDA ETERNA.

Pr. Rodrigo

Revitalização - Paulo - O mentor da revitalização em Creta

PAULO - O mentor da revitalização em Creta

O mentor que orienta o Pastor que revitaliza a igreja:

      1.Tem uma clara identidade pessoal e missional (1:1)

A) Identidade pessoal
Paulo se descreve como servo de Deus. A sua identidade em Cristo define bem quem ele é. Ele não se vê além disso. Um mentor saudável não procura se auto-afirmar ou tomar o lugar de Cristo. Ele não é maior do que o Seu Senhor e tem uma atitude de submissão ao Deus da missão.

B) Identidade missional
A palavra apóstolo fala da vocação de Paulo e de sua missão. Ele é um enviado de Jesus Cristo. Como apóstolo, sua tarefa está definida por aquele que o enviou. O pastor mentor tem um perfil apostólico e muita clareza de que não se trata de uma realização pessoal, mas uma realização de Deus. Ele está a serviço do noivo da igreja. Quem define a sua agenda e missão é o próprio Cristo. Ele não busca se auto-promover, mas visa promover tão somente a fé dos eleitos de Deus. Ele busca promover o pleno conhecimen0to da verdade e não o seu conhecimento. Em suma, Paulo tem como propósito promover uma relação mais intima da noiva com o noivo. Quando pensamos em revitalização, a relação da igreja com Cristo descreve o alvo da nossa missão.

      2.Tem uma clara fé bíblica e prática (1:2-3; 2; 3:1-8)

Dedicarei uma parte exclusiva à mensagem central, a dieta da pregação que visa a revitalização em outro momento. Aqui falo sobre o mentor orientador de um pastor revitalizador. Paulo é este mentor a Tito. O crer correto deve levar a um sentir correto que refletirá em um agir correto. O que levará essa igreja em Creta a ser revitalizada, em profundo relacionamento com Cristo e relevante:

I.Fé Bíblica com uma mensagem focada na missão de Deus

A) Mensagem centrada no propósito eterno de Deus (1:2-3)
O propósito eterno de Deus se revela em Cristo e tem seu olhar na eternidade.

B) Mensagem centrada no Evangelho da Graça de Deus em Cristo (2:11-14; 3:4-7)
A igreja que deve ser revitalizada concentra sua pregação no Evangelho da Graça.
Muito mais do que estratégias e fórmulas de crescimento, a igreja precisa ser conduzida por uma mensagem cristocêntrica. A forma como a igreja está estruturada deve facilitar a comunicação dessa mensagem e a ação missional da igreja.

II.Fé prática evidenciada na conduta e no testemunho:

A) O modo de vida dos obreiros (1:5-9)
Aquele que prega deve viver a mensagem que anuncia. Ele modela pelo caráter e vida. A revitalização da igreja começa com a revitalização do pastor. Tema que será abordado a parte.

B) O modo de vida dos membros (2:2-10; 3:1-2)
Os cristãos devem ser testemunhas vivas da mensagem. Aquilo que eles professam deve refletir no modo como vivem. A igreja revitalizada passa por esse processo de transformação dos discípulos que nela comungam. Ela deve ser uma comunidade de discípulos de Cristo saudáveis tanto em seus relacionamentos internos como externos. Tema que será abordado a parte.

C) O modo de vida do revitalizador (2:7-8; 15)
Aquele que está revitalizando a igreja, levantando líderes e orientando os discípulos de Cristo deve ser ele mesmo o exemplo. Tema também que será abordado a parte.
Observamos em geral, que Paulo tem uma clara teologia bíblica e prática. Suas orientações não giram em torno das necessidades das pessoas da igreja, mas gira em torno da necessidade de pregar e viver uma mensagem que transforma. Gira em torno da necessidade de assumirem a sua identidade em Cristo para o cumprimento da missão.

      3.Tem uma clara visão das gerações que compõem a igreja (2:2; 2:3-4; 2:6)

A igreja são pessoas. Revitalizar a igreja passa por uma clara compreensão das demandas de cada geração. O pastor mentor da revitalização precisa ter este claro discernimento para orientar corretamente. Paulo tem um conselho para cada geração nessa igreja.

      4.Tem uma clara visão quanto a fazer discípulos e trabalhar em equipe (1:4; 3:12-13)

Tito é chamado por Paulo de verdadeiro filho na fé. Justamente porque ele é formado e acompanhado que Paulo pode lhe confiar a tarefa em Creta (v.5). Paulo, como orientador de um revitalizador sabe que alguém só pode dar o que recebeu. Por isso, orienta a Tito que também treine e discipule a outros. Um orientador na área de revitalização precisa ter uma clara noção de trabalho em equipe e discipulado.

      5.Tem uma clara postura apologética e disciplinar (1:10-16; 3:9-11)

O mentor orientador sabe que o processo de revitalização enfrentará conflitos. Há pelos menos dois aqui descritos:

A) Conflito contra as heresias (1:10-16; 3:9)
Paulo sabe o prejuízo que existe ao tolerar qualquer mensagem cujo o conteúdo compromete a sã doutrina. Ele orientará que se deve repreender severamente tal ensinamento.

B) Conflito com aqueles que causam divisões (3:10-11)
Aquele que não ouve a voz do pastor não é ovelha. Paulo diz que essa pessoa que causa divisões deve ser evitada.
Tem uma clara ênfase no ensino, na pregação e na exortação (1:3; 1:13; 2:1; 2:6; 2:15; 3:1; 2:8; 3:13-14)
O processo de revitalização de uma igreja exige uma intensa agenda de treinamentos, capacitações, ensinos, lembretes etc. O pastor orientador deve assegurar que o pastor revitalizador está usando de todas as ferramentas possíveis para orientar a todos de acordo com a sã doutrina todo o tempo.

Pastor Rodrigo


sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

“Precisa de mudanças? Avalie e mude radicalmente a sua vida, com a visão de Deus”

“Precisa de mudanças? Avalie e mude radicalmente a sua vida, com a visão de Deus”
Neemias 1

 Chegamos ao último mês de 2017! Você está satisfeito com esse ano? Antigamente eu sempre ficava com uma sensação de pendência e descontentamento com os meus anos. Sempre tendemos a ter uma lista maior de coisas que não alcançamos do que a lista de coisas que alcançamos. Seria isso normal? Normal não é, mas é muito comum. Como terminar bem o ano? Muita gente não tem animo para avaliar 2017 e ainda não planejou 2018. Como filhos de Deus devemos agir? Tudo bem, reconheço que preciso de mudanças, mas como elas devem acontecer de maneira que sejam consistentes? Veremos a partir de Neemias, como alguém enfrentou uma crise e provocou uma verdadeira mudança em uma nação. Avalie e mude radicalmente a sua vida, com a visão de Deus.

      1)      Avalie e alinhe a mudança da sua necessidade com a visão de Deus (v.2-3; 7)
a.Faça perguntas e avaliações para perceber a real necessidade. (v.2) Observe que Neemias deseja saber a situação real dos que estão em Jerusalém. Como ele faz isso? I) Ele pergunta (v.2). Certa vez eu estava me queixando da falta de proximidade da Giovanna comigo. Ela é uma criança, mas com 5 anos de idade eu a achava muito distante de mim. Então decidi procurar uma psicóloga para me ajudar. Após expressar a minha dor, a pergunta da psicóloga foi a seguinte: “Como é a sua agenda?” Ela não precisou dizer mais nada, entretanto, a pergunta foi confrontadora e me causou um desconforto porque ficou evidente a minha falha numa simples pergunta. Sabe por que alguns experimentam mudanças? Por causa do desconforto do confronto. Mas, não há mudança sem boas perguntas. Quando Deus está chamando Moisés e este se sente incapacitado Deus lhe faz uma pergunta: “Perguntou-lhe o Senhor: Que é isso que tens na mão? Respondeu-lhe: Um bordão” Êxodo 4:2. Deus faz Moisés enxergar uma ferramenta muito comum do seu dia a dia fazendo uma pergunta! Deus não sabia que aquilo era um cajado? Você quer mudança em seu casamento? Você quer mudança no seu ministério? Você quer mudança na sua vida espiritual? Faça boas perguntas que podem lhe causar desconforto e te estimulem à mudança! Deixe pessoas fazerem perguntas sobre a sua situação. II) Pergunte para as pessoas certas (v.2). Veja que no versículo 2 Neemias faz a pergunta a um de seus irmãos, o que significa que era um irmão de sangue ou um parente próximo, alguém de sua confiança. Deus coloca pessoas certas em nossas vidas. Há pessoas próximas de nós que estão enxergando além de nós. Não pergunte a um peixe sobre a água e sobre o aquário, mas pergunte a quem está do lado de fora! As empresas contratam consultorias para que lhes façam perguntas certas para mudanças. Se você quer ver mudanças em sua vida, precisa ter pessoas de Deus que sejam de sua confiança e honestas para lhe dar as respostas que precisa ouvir e não as que gostaria de ouvir. Esse é o primeiro grande caminho da mudança.
b.Faça perguntas e avaliações que gere em você um santo descontentamento (v.3; 4) Como já mencionei, a minha experiência com a Giovanna me causou muito desconforto. Muitos reagem negativamente diante do confronto ou apenas se justificam. Essas pessoas que querem ver mudança, mas não estão dispostas a enfrentar o confronto e o desconforto para mudar. Mas, pessoas que mudam e provocam mudanças tem uma reação distinta: I) Elas enfrentam a pressão (v.3). Palavras pesadas são mencionadas por Hanani: “grande miséria e desprezo”. Há uma forte pressão acontecendo aqui no coração de Neemias ao ouvir essas palavras. Certa vez a Andréa me disse que não estava feliz com o nosso casamento e me apresentou os motivos. Aquilo trouxe muita pressão sobre mim. A mudança é uma transformação de um estado para outro. É deslocamento! Para abrir uma tampa de garrafa você precisa exercer pressão para que ela mude de fechada para aberta. Meu amado irmão e minha amada irmã: Se você tem orado por mudanças, Deus graciosamente lhe trará pressão e pressão gera poder para mudar! II) Elas buscam a Deus (v.4). Diante da forte pressão, Neemias não foge, não fica indiferente, não busca culpados ou justificativas. Diante da forte pressão Neemias se senta, chora e se lamenta por alguns dias. Jejum e oração por alguns dias! Se você quer ter mudanças consistentes, elas exigem um tempo com de Deus! Todas as vezes que me via sem direção diante de pressões ministeriais, eu me retirei para jejuar e orar perante Deus! Isso é um santo descontentamento. Você está descontente, mas está o apresentando diante de Deus.
c.Faça perguntas e avaliações que te façam chegar a uma conclusão correta do real problema (v.6b; 7). Neemias faz uma avaliação da situação do seu povo e de sua própria condição. A conclusão e: “Faço confissão pelos pecados”. “Temos procedido de todo corruptamente”. Igreja, quem deseja realmente mudança em sua vida faz uma avaliação que gera uma mudança de mente e de comportamento diante de um diagnóstico real.
Deus tem o melhor para a sua vida. A sua vida pode ser melhor em 2018!

      2)      Avalie e alinhe a mudança a visão do propósito eterno de Deus (v.5; 6; 11)
Todo cristão que deseja uma real mudança fará avaliações e alinhará seu coração com o coração de Deus. Se seu coração se alinhar com o coração de Deus, então suas ações, escolhas e decisões se alinharão com o coração de Deus e haverá mudanças de Deus em sua vida. Neemias não tinha em mente simplesmente a restauração do orgulho nacional de Israel e de sua capital Jerusalém. Não! Ele não buscou mudança porque o povo tinha uma necessidade de mudança. Como sabemos disso? Veja que a causa da mudança, a motivação da mudança se alinha com o projeto de Deus para aquela nação: “guardas a aliança”. No verso 8 está a causa dessa destruição: “Eles quebraram a aliança e por isso foram espalhados (Levíticos 26:14-16; 33). Então vem uma pergunta: “Por que devo mudar?” Devo mudar porque estou infeliz com o meu trabalho? Devo mudar porque estou infeliz com o meu casamento? Devo mudar porque estou infeliz com o meu ministério? Devo mudar porque quero coisas novas? Por que devo sair de uma liderança? Por que devo mudar de igreja? Por que devo criar um ministério novo na igreja? Por que vou mudar para outro prédio?  Por que mudar? Irmãos, se qualquer mudança que eu busque, for apenas por pura necessidade, por mais honesta que ela seja, ela ainda é egoísta e não ocorrerá segundo a visão de Deus, mas segundo minhas necessidades e meus descontentamentos e não será permanente, apesar de legitimo muitas vezes. Eu não devo mudar minha postura no casamento por causa da Andréa primariamente. Eu devo mudar a minha postura no casamento por causa da minha aliança com Deus! Eu devo ser o marido segundo o coração e o caráter de Deus, não segundo as minhas necessidades ou necessidades da Andrea, mas segundo o projeto de Deus para o casamento. Eu não devo mudar a estrutura da igreja ou o local da igreja por causa da necessidade da igreja primariamente. Mas, devo considerar o plano de salvação, o propósito eterno de Deus e se o local e a estrutura não estão respondendo à visão e ao propósito de Deus, então devo mudar. Eu não devo mudar o jeito da célula ou a minha célula porque as pessoas estão simplesmente descontentes, mas devo avaliar e mudar para estar alinhado com as necessidades e a visão de Deus. A visão de Deus, não as nossas necessidades, mas a do Reino de Deus que coloca em primeiro lugar a restauração da imagem de Deus nas pessoas, a salvação de vidas. Toda mudança na minha vida deve ser motivada pela minha aliança com Deus e de acordo com o propósito de Deus e se for realmente direcionada por Deus: I) Ela produzirá arrependimento (v.6); II) Ela gerará confissão (v.7); III) Ela gerará paciência e esperança em Deus (v.11).

Por que muitas mudanças não são frutíferas e não duram? Porque elas não nascem no coração de Deus, mas no coração do homem. Elas não nascem do propósito eterno de Deus, mas das necessidades e propósitos dos homens.
Eu lhe pergunto: Onde nasceu seu ministério? Onde nasceu sua liderança? Onde nasceu seu casamento? Onde nasceu sua família? Onde nasceu seus projetos? Onde nasceu a sua fé e a sua espiritualidade? Eles estão precisando de alguma mudança? Aonde você está? A mudança também deve nascer dentro do propósito eterno de Deus que visa a reconciliação de todas as coisas com Cristo!

      3)      Avalie e alinhe a mudança com esperança em Deus (v.11)
Aquilo que nasce em Deus, ainda que esteja em crise, pode ter esperança para mudar. Igreja, Neemias é apenas um copeiro do Rei e nada mais. O que ele poderia fazer? Nada além de orar. Aprendo algumas lições preciosas sobre ter esperança em Deus quando queremos ver mudanças em nossas vidas:
a.Não importa a sua condição social, econômica, suas limitações. Se você confia no Senhor, a mudança acontecerá.
b.Tenha fé em Deus e não em homens ou circunstâncias se você deseja ver mudanças. Se elas estão alinhas com os propósitos de Deus, ela acontecerá.
c.Se a mudança que você busca nasce em Deus e está alinhado com os propósitos de Deus, ainda que você se encontre em um vale de ossos sequíssimos, Ele restaura e o transforma em um Exército Sobremodo Numeroso! Nossa esperança está em o nome do Senhor. Você quer um 2018 abençoado e precisa de mudanças? Avalie em mude radicalmente, com a visão de Deus.

Rodrigo Rodrigues Lima
Pastor

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Crise rumo à maturidade. Pessoas, atitudes e legados

Crise rumo à maturidade. Pessoas, atitudes e legados
Hebreus 5:11-14 a 6:1-12

A vida cristã não é estática e não se resume a uma vida de culto aos domingos. A vida cristã, ou a vida de Cristo em nós, é um crescente relacionamento rumo à perfeição, até que nos tornemos adultos espirituais plenamente maduros, plenamente desenvolvidos, plenamente cheios de vida, como Cristo. Porém, todo crescimento passa por crises. Quando eu era criança sentia fortes dores nas pernas e minha mãe dizia que era a dor do crescimento. Passar da infância para a adolescência é uma crise, uma explosão de hormônios. Passar da vida adolescência para a vida adulta é uma outra crise.
Quero afirmar que a maturidade ou a imaturidade na vida cristã é fruto da sua resposta ao convite de Deus a se apoiar e crescer na fé totalmente embasada nas Escrituras, testada mediante as circunstâncias e evidenciada pelos frutos ou legados da fé.
A maneira como respondo a essas crises gerarão um tipo de pessoa, revelará tipos de atitudes e deixará tipos de legados. Que tipo de pessoa você tem se tornado diante da crise? Que tipo de atitude você tem tomado? Qual será o seu legado? Crise rumo à maturidade.

1.A resposta à crise rumo à maturidade gerará dois tipos de pessoas (Hb 5:11-14; 6:1-3)
a.Tipo de pessoa imatura. 1) A pessoa imatura se deixou regredir na fé (v.11; 12). Veja que o autor diz: “tendes tornado” ou ainda “vos tornastes”, o que significa que eles não eram assim, mas regrediram ao permitirem a estagnação e o retrocesso. 2) A pessoa imatura se deixou regredir na fé pela preguiça (v.11). O autor diz: “tardios em ouvir”. Tardio significa lento, moroso, preguiçoso. Esses cristãos não se aprofundaram na sua relação com Deus através da Palavra (v.12) 3) A pessoa imatura se deixou regredir na fé pela preguiça e perdeu a sensibilidade espiritual (v.14). O autor diz a respeito do ganho do maduro, que se trata de uma perda para o imaturo: “faculdades exercitadas para discernir”. Isso fala de sensibilidade espiritual, de não perceber Deus e sua ação em nossas vidas. Em suma irmãos, a questão da imaturidade espiritual não está relacionada ao seu grau de conhecimento da Palavra de Deus, mas ao seu grau de obediência à Palavra de Deus quando as circunstâncias pedem. Se um corredor de maratona não praticar regularmente os seus exercícios, ele regredirá e terá que começar tudo de novo. Essa expressão tardio (v.11) era muito usado para designar um leão doente que ficava lento. O que isso significa? Significa que todas as vezes que nós escolhemos deliberadamente desobedecer a Deus e à Sua Palavra, nós adoecemos e ficamos lentos. O pecado nos adoece e nos torna lentos para discernir e obedecer a vontade de Deus e consequentemente regredimos e não amaduremos. Como um corredor, ficamos lentos e voltamos à estaca zero. Será como um bebê espiritual que sempre precisa entender o que é graça, o que é o amor de Deus, o que é o pecado e que não suporta as provações e precisa constantemente de apoio para entender suas crises. Pergunto a você neste dia: a) Como está sua relação com a Palavra de Deus em termos de obediência? b) Como está sua sensibilidade espiritual?
b.Tipo de pessoa madura. A pessoa madura é completamente diferente e crescerá por causa da atitude do seu coração diante da Palavra de Deus. 1) A pessoa madura avança na fé (v.11). Ela está preparada para o alimento sólido (v.12). 2) Ela não é preguiçosa e pratica, exercita sua obediência à Palavra ganhando mais força e experiência para os desafios, as crises que enfrenta. (v.14). Deus quer dar a nós sensibilidade espiritual, mas ela é construída. Você precisa se exercitar vigorosamente. Como diz um certo pastor chamado Ziel Machado: “Sê fiel no pouco problema e sobre o muito problema Deus te colocará e isso é benção”. Na academia você foi obediente e disciplinado levantando 5 kg. Parabéns! Agora você levantará 10kg. E assim sucessivamente. Muitos crentes param de praticar, se entregam nas suas lutas porque perdem a sensibilidade espiritual. É justamente nessa crise que Deus quer levar você ao crescimento. Não regrida. Que tipo de pessoa você é?

2. A resposta à crise rumo à maturidade gerará dois tipos de atitudes (Hb.6:1-8)
a.Atitude de afastamento, indiferença, frieza e até apostasia (Hb 6:4-8). A vida cristã, ou a vida de Cristo em nós, é um crescente relacionamento rumo à perfeição, até que nos tornemos adultos espirituais plenamente maduros, plenamente desenvolvidos, plenamente cheios de vida, como Cristo. Se eu não aprendo com as crises, mesmo que eu tenha provado o sabor dos céus, mesmo que eu tenha visto a luz, mesmo que eu tenha experimentado a bondade da Palavra de Deus e ter tido experiências poderosas com Deus, se diante das crises eu não colocar em prática o que recebi, poderei me afastar, me tornar indiferente, experimentar frieza e até apostasia. Quero te perguntar hoje: O que ou quais situações seja na igreja, seja na família, seja no trabalho ou nos relacionamentos que de alguma forma te afastaram ou podem estar tentando te afastar de Deus? Essas situações de crise são oportunidades para você colocar em prática a Palavra de Deus e avançar na maturidade. Nada em nossa vida seja bom ou ruim deve ser desperdiçado ou ignorado, mas deve ser interpretado e avaliado à luz da Palavra de Deus para que você amadureça na fé em meio à crise. Muitos abandonam quando deveriam perseverar para crescer! Alguns entram numa crise terrível com Deus por causa das circunstâncias da vida. Veja: “julgar o caráter de Deus pelas circunstâncias é terrível. É Deus quem julga as circunstâncias. Se você não vê Deus nas circunstâncias confie em Sua bondade.” Você pode fazer uma lista de pessoas que passaram por circunstâncias terríveis e confiaram na bondade de Deus. Mas, e você?
b.Atitude de dependência e obediência (Hb 6:1-3). Há um convite a uma atitude muito especial aqui no verso 1: “deixemo-nos levar para o que é perfeito”. Imagine que você está dentro de um barco sem remos e apenas com vela hasteada sobre o mar. Você está totalmente à mercê do vento e do mar. O convite de Deus para você diante da crise é que você faça uma entrega pessoal a uma influência ativa do Espírito Santo em total confiança e dependência, em obediência à Sua Palavra. Deus está desejoso de mover em você! Deixe que Ele, que Ele guie para a maturidade. Maturidade é uma ação de Deus mediante a sua entrega! Pare de resistir! Como em Ezequiel 47, deixe que o rio de Deus o conduza. Mergulhe nessa vida de dependência e fé mediante a crise rumo à maturidade como fez Jó! A verdadeira maturidade consiste em conhecer o Senhor! “Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem. Por isso, me abomino e me arrependo no pó e na cinza”. (Jó 42:5-6) A verdadeira maturidade gera humildade espiritual. abro mão do controle e deixo Ele me guiar em tudo na minha vida.

3. A resposta à crise rumo à maturidade gerará dois tipos de legados (Hb.6:9-12)
a.O legado que não é legado.  ????????????????   ???????????????????????    ??????????????????     ??????????????. Não há nada para contar.
b.O legado a ser imitado. O legado é algo permanente que muda a sua história e a história de outros. Há alguns aspectos interessantes sobre pessoas assim. 1) Deus não se esquece do trabalho e da fidelidade dessas pessoas (v.10); 2) Essas pessoas são perseverantes (v.11); 3) Essas pessoas possuem um ponto de referência para a sua caminhada de fé, pois elas as imitam (v.12). Diante da sua crise quem é seu ponto de referência? Homens e mulheres que deram resposta satisfatória a Deus diante da crise rumo à maturidade de fé deixaram legados. Veja comigo Hebreus 11 e veremos alguns casos de crise e legado:
I. Abraão. Crise: esterilidade da esposa. Legado: Ser pai de muitas nações (Hb 11:11-12); II. Moisés. Crise: escravidão. Legado: Libertação do Egito (Hebreus 11:27-29).

Deus quer engrossar as fileiras de homens e mulheres que respondem à crise rumo à maturidade com legados, com uma vida a ser imitada. Qual é o legado que você deixará para seus filhos, irmãos na fé, para a sua comunidade de fé?

Rodrigo Rodrigues LimaPastor

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Igreja – Ambiente de cura!

Igreja – Ambiente de cura!
Celebrando juntos!
Filipenses 2:12-18

Na semana passada falamos sobre uma libertadora honestidade. Percebemos que um dos grandes problemas em não se praticar a confissão é a falta de relacionamentos profundos e sinceros. A igreja é ambiente de cura. Quando Paulo escreve aos filipenses, ele os exorta a viver esse ambiente de cura que é igreja. Eu quero ver pessoas restauradas e curadas. Quero trazer meus amigos para as nossas reuniões porque aqui há vida de Deus. Quero ver meus amigos salvos, portanto, trazê-los para este lugar para as nossas células e mentorias porque a salvação que Cristo oferece se manifesta como cura e assim a igreja se torna um ambiente de cura, de salvação pelo poder da cruz. Quando a igreja vive essa maturidade onde posso trazer as pessoas para serem restauradas pelo poder do Evangelho? Como ela manifesta ser esse ambiente de cura? Como de fato ela é igreja?

1.A igreja é ambiente de cura quando os discípulos são maduros (v.12-14)
a.Maturidade relacional. (v.12) Paulo chama a igreja a desenvolver a sua salvação. Paulo não escreve tendo em mente indivíduos, mas um grupo de pessoas que vivem juntos. Salvação como mencionamos pode significar livramento da danação eterna, mas também significa saúde. O texto deve ser lido dentro do seu contexto maior, portanto, nos versos 3, 4 e 5 está a prova de que ele está pensando no coletivo. Quando Ele diz “desenvolver com temor e tremor”, na verdade com respeito a essa saúde do corpo Paulo se refere a que os membros aprendam a resolver os seus problemas em prol do próprio corpo de Cristo. A igreja só pode ser ambiente de cura quando os discípulos desenvolvem a salvação em coletivo cuidado. Eu cuido de você e você cuida de mim. Pergunto: Você está disposto a ser cuidado? Muita gente se queixa de não recebe cuidado, porém, quando o pastor ou um líder se aproxima para cuidar, a pessoa não aceita o confronto, a assepsia necessária para cura. O que tudo isso significa? Significa que os que vão para o céu manifestam o céu em seus relacionamentos. Aprendem a lidar com conflitos. A igreja é sua família! Por que há tantas igrejas doentes? Jesus foi enfático quanto a essa maturidade – Mateus 5:23-24. Resolva o conflito antes de apresentar sua oferta. Igreja é ambiente de cura quando os relacionamentos estão maduros. A igreja unida é forte, prevalecente e vitoriosa. Jesus orou em João 17:21 essa unidade! Aleluia.
b.Maturidade espiritual. (v.13) Uma igreja que é ambiente de cura é aquela onde os discípulos são maduros espiritualmente. Paulo está dizendo o seguinte: “Vocês sempre foram fiéis na minha presença. Agora não estou mais entre vocês. Portanto, muito mais agora na minha ausência confiem que sempre quem operou em vocês foi Deus.” Maturidade espiritual é quando eu aprendi a agir sob a direção de Deus na ausência de meus líderes. É saber lidar com os problemas na dependência do Espírito Santo. Eu preciso do meu irmão, mas sobretudo, preciso depender e agir pelo Espírito Santo.
c.Maturidade no serviço aos outros (v.14) Paulo recomenda que eles sirvam sem murmurar. Paulo os orienta a não fazer a obra com descontentamento. Quando ele escreve esta carta, está preciso. Está preso porque estava em serviço a Deus (1:1; 12). Fazer a obra de Deus com murmuração promove doença na igreja e não cura. Esse descontentamento quebra a harmonia da igreja e o resultado é contenda, briga.

Uma igreja que vive um ambiente de cura é aquela onde há maturidade nos relacionamentos, maturidade espiritual e maturidade no serviço aos outros. Assim deve ser as nossas células, mentorias e ministérios.

2.A igreja é ambiente de cura quando os discípulos são puros e santos (v.15-16)
Ninguém pode dar o que não tem. A igreja de Filipos é chamada a viver essa salvação, essa saúde entre eles para manifestar essa saúde ao mundo. Eu sou o que sou.
a.Eu sou filho de Deus (v.15). Isso já define tudo. Se sou filho, sou como Ele é. Quantas pessoas sem convicção de sua nova natureza e estão sem autoridade de Deus. A bíblia diz que a minha posição como filho de Deus é estar assentado com Cristo à Sua direita nos lugares celestiais (Efésios 1:19-20).  Este lugar é acima dos principados e potestades (Efésios 1:21). Só uma coisa pode nos roubar essa convicção, o pecado. Por isso, Paulo diz: “sejam irrepreensíveis e puros/sinceros, isto é, sem mistura, genuínos, autênticos.” Assim levamos a cura, uma vez saudáveis.
b.Eu sou luzeiro no mundo (v.15). A essa referência de luzeiro, temos Mateus 5:14-16 onde Jesus define como evidenciamos essa cura, esse evangelho. Ser luz é ser sinalização, é clarear o caminho, é evidenciar o que é próprio nosso, a luz de Cristo. Eugene Peterson traduz na sua versão a Mensagem esse texto nos seguintes termos: “Apresentem-se imaculados para o mundo, como um sopro de ar fresco nesta sociedade poluída”. Um povo puro e santo está revestido da vida de Deus e da autoridade de Deus para promover cura em lares, no trabalho, no bairro etc. Somos um povo puro e santo e levamos pureza e santidade, assim promovemos cura, ou seja levamos a mensagem de salvação pelo poder da cruz que Cristo operou.
c.Eu sou o recipiente da Palavra de Poder (v.16). A preservação da Palavra da vida é o mesmo que reter. Essa Palavra de poder é que cura e salva. Ela é que santifica (João 17:17). O que é reter a Palavra da vida? Reter é como segurar uma vela acesa. Enquanto ela está em minhas mãos, a vela está acesa. Se ela cair das minhas, mãos a vela se apaga. Eu sou esse recipiente onde retenho o fogo de Deus, o poder da viva Palavra. É assim que sou mantido puro e santo! A Palavra deve estar sempre queimando em meu coração para que as pessoas vejam a chama de Deus em minha vida.

3.A igreja é ambiente de cura quando os discípulos patrocinam a cura (v.17-18)
Mais uma vez afirmo que a igreja não pode dar o que não tem. Porém, se ela tem ela transborda daquilo que possui de melhor.
Patrocinam a cura dando tudo de si para isso dentro e fora das quatro paredes. Paulo se alegra com todos eles porque eles foram seus patrocinadores. Com muito sacrifício e serviço eles sustentaram Paulo (Filipenses 4:10-19) para que essa mensagem de poder do Evangelho chegasse a outros lugares. O que é bom a gente quer compartilhar.

Rodrigo Rodrigues Lima
Pastor

domingo, 10 de setembro de 2017

Uma libertadora honestidade - Quebrando as cadeias através da confissão

Uma libertadora honestidade
Quebrando as cadeias através da confissão
Provérbios 28:13

Image result for confissãoAbordar o assunto da confissão é lidar aparentemente com um tabu na vida da igreja sobre algo que deveria ser seu natural. Muitos possuem a sensação de que sempre estão em falta com Deus em alguma área de suas vidas, aprisionadas pela culpa ou pela frustração com traumas emocionais e feridas em sua alma. Essas pessoas não tem vivido plenamente a vida de salvação que Cristo já as proporcionou na cruz. Entenda que salvação é tanto um acontecimento quanto um processo. A salvação através da santificação é um processo de restauração da imagem de Deus em nós, em sermos pessoas plenas diante de Deus, curadas e resolvidas diante dele e dos outros. Isso é importante ter em mente que a confissão seria apenas terapêutica sem a cruz. A confissão visa uma mudança objetiva em nosso relacionamento com Deus, além de uma mudança interior em nós. É um meio de cura. (Tiago 5:16)
O resultado da falta desse ambiente de graça são crentes isolados e solitários em seus pecados. Não suportam a ideia de revelar seus fracassos e deficiências a outros irmãos escondendo quem realmente são, passando a conviver uma vida de mentira e hipocrisia. Há uma canção em inglês que gosto muito que fala desse cenário. Quando um pecador chega na comunidade dos pecadores redimidos, a igreja, ele pensa: “Há alguém que fracassa? Há alguém que cai? Sou o único na igreja hoje me sentindo tão pequeno? Por que quando olho ao meu redor parece todo mundo tão forte? Eu sei que eles vão descobrir logo que eu não me encaixo. Então eu escondo tudo como se tudo estivesse bem. Se eu fizer com que eles acreditem nisso, talvez eu também acredite. Então com um sorriso falso, eu enceno o meu papel de novo. Então todos me verão da mesma forma como eu me vejo. [...] Eu sou o único que está trocando o altar por um palco? A performance é convincente e nós sabemos cada linha de cor. Apenas quando ninguém está assistindo nós podemos realmente desmoronar. Mas isso me libertaria se eu ousasse deixa-lo ver a verdade por trás da pessoa que você imagina que eu seja. Os seus braços estariam abertos? Ou você iria embora? O amor de Jesus seria o suficiente para fazer você ficar?
Quero dizer à luz da palavra de Deus que você pode encontrar liberdade através da honestidade. Você pode romper as cadeias através da disciplina da confissão.

Você pode encontrar liberdade através da honestidade. Você pode romper as cadeias através da disciplina da confissão.

1.Viva uma libertadora honestidade se abrindo com Deus (Gênesis 3:8-12)
O primeiro grande passo para viver essa plena liberdade através da confissão é reconhecer que Deus não é o culpado de seus pecados e problemas.
a.Não se esconda da presença de Deus. (v.8) O primeiro sinal da falta de arrependimento e confissão é a fuga da Presença de Deus.
b.Não tenha medo de Deus. (v.10) O medo e o orgulho se agarraram como carrapatos a Adão e Eva. Eles entraram na cadeia da culpa e da acusação e fugiram de Deus.
c.Não culpe a Deus. (v.12) Adão diz: “A mulher que me deste”. Ele não assume a sua culpa, mas culpa a Deus.
Pode ser que tenhamos nos escondido, de alguma forma, da realidade de nossas problemas, culpando a Deus por eles. Deixar essa barreira cair abre a porta para experimentarmos o amor e a aceitação de Deus.
Quando falamos de confissão, não estamos falando apenas de pecado, mas de feridas e traumas que de alguma forma. Você já foi honesto com Deus?

Você pode encontrar liberdade através da honestidade. Você pode romper as cadeias através da disciplina da confissão.

2.Viva uma libertadora honestidade consigo mesmo (II Samuel 12:1-7; 13)
O segundo grande passo para viver essa plena liberdade através da confissão é o desejo e a força para abandonar nossos erros e falsidade.
Esse segunda passagem fala de um homem que pecou contra Deus e quis viver escondendo o seu pecado, Davi. Davi esteve no lugar errado, na hora errada e agiu de forma errada. Quando deveria estar na guerra (II Samuel 11:1), esteve ocioso e viu uma mulher banhando-se (II Samuel 11:2). Ele pecou. Se deitou com a mulher e ela concebeu. A atitude de Davi foi tentar de todos os modos fazer com que Urias se deitasse com Bate-Seba, mas sem sucesso Davi o coloca na frente da batalha para assassinar Urias. Davi se casa com Bate-Seba e decide viver como se nada estivesse acontecendo até que Deus envia o profeta Natã e temos o relato registrado no texto que embasa essa segunda lição. Davi não foi honesto consigo mesmo.
a.O desonesto consigo mesmo sempre dá um jeitinho de encobrir o erro (II Samuel 11:26-27). Veja que Davi arma situações e causa morte! O desonesto consigo mesmo produz morte espiritual, morte de ministério, morte de sonhos, encobre seu erro. Seu último jeitinho é casar-se com Bate-Seba. Casamento fala de aliança. Veja que a não confissão nos leva a nos aliançarmos com o pecado.
b.O desonesto consigo mesmo usa máscaras (II Samuel 12:5). Observamos que Davi age dissimuladamente ou como alguém que esqueceu do seu próprio erro. Ele põe uma máscara e julga a situação exposta pelo profeta. O coração daquele que é desonesto consigo mesmo está muito doente.
c.O desonesto consigo mesmo esconde seus atos das pessoas, mas não consegue esconder seu coração de Deus (II Samuel 12:7). Natã era o profeta de Deus. De Deus não se zomba. “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia para a sua própria carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna.” (Gálatas 6:7-8)

Por isso amada igreja, a confissão é tão importante! O pecado é destrutivo e se não temos um ambiente de graça para haver confissão de tentações e pecados, as pessoas podem se tornar especialistas em se esconder e em colocar máscaras e elas viverão como filhos do diabo e de Satanás, pois, ele é o mestre do engano e pai da mentira. Hoje tratamos as transgressões contra o amor de Deus com extrema suavidade. Se tivéssemos apenas um vislumbre da repugnância que Deus sente pelo pecado, iríamos nos esforçar muito mais por uma vida santa.

Você pode encontrar liberdade através da honestidade. Você pode romper as cadeias através da disciplina da confissão.

3.Viva uma libertadora honestidade se abrindo com uma pessoa (Tiago 5:16)
O terceiro grande passo para viver essa plena liberdade através da confissão compartilhar a sua vida com mais uma pessoa.
No texto de Tiago há uma promessa. Você confessa e recebe oração para cura.
a.A confissão negligenciada adoece a alma e reflete na vida. “Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio.” (Salmo 32:3-4)
b.A confissão é praticada por pessoas que são abertas para crescer e seu coração está sensível como a de uma criança (Mateus 18:1-4). Quando mantemos a máscara para parecermos algo que não somos: a) Perdemos a simplicidade do coração aberto à correção; b) Gastamos energia em manter as aparências, em parecer alguém que de fato não somos; c) Não temos a alegria de saber o que o Espírito tem mais para nos mostrar do que vimos até agora. Em suma, não crescemos!

Deus quer manifestar seu amor restaurador em Sua vida. Deus quer que esta igreja seja um ambiente de graça para que as pessoas consigam expor quem verdadeiramente são para serem curadas e libertas. Quantos casamentos em sofrimento, filhos feridos, pessoas em pecado, esposas amarguradas, maridos endurecidos porque não tem uma pessoa em que eles possam alcançar a liberdade através de uma conversa honesta de confissão. Por não encontrar esse ambiente, aprendemos a nos isolar, não confiar, não nos expor, nos proteger, nunca deixar que os outros saibam do nossos verdadeiros medos e fraquezas. A honestidade é a saída de nosso isolamento e solidão. Você sabia que pessoas duras e hostis podem ser na verdade pessoas que antes foram feridas e hoje agem assim só para se defenderem?

O desejo de doar e de perdoar está no coração de Deus.
Foi o amor, e não a raiva, que levou Cristo à cruz. O Gólgota aconteceu como resultado do grande desejo que Deus tem de perdoar, não de sua relutância.

“O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.” Provérbios 28:13

Pr. Rodrigo Rodrigues Lima

sábado, 5 de agosto de 2017

Crer, Sentir e Fazer – O Estudo da Palavra que Transforma

Crer, Sentir e Fazer – O Estudo da Palavra que Transforma

Nós vivemos uma era de muita informação, mas de pouco conhecimento. Há diferença entre informação e conhecimento? Sim! A informação são opiniões, fatos e dados que não provocam mudanças, mas são importantes. Já o conhecimento seria um entendimento que se coloca acima de qualquer opinião que é capaz de provocar mudanças. Você é informado que existe a gripe, sabe como pegá-la e como evitá-la, mas o médico tem o conhecimento capaz de curá-lo da gripe.
Temos acesso à informação com o advento da internet. 43% da população mundial tem acesso à informação através desse recurso.
De cara, quero chamar você à reflexão e lhe perguntar: A sua relação com a Palavra de Deus é de alguém que está informado sobre ela conhecendo suas histórias e livros ou de alguém que a conhece a ponto de ser transformado.
O sermão desta manhã tem como base o livro LEVANDO DEUS A SÉRIO de Kevin DeYoung que faz uma reflexão sobre o Salmo 119.
O Salmo 119 é um acróstico é uma exaltação à Palavra de Deus. É o mais longo da Bíblia contendo 176 versículos, divido em 22 estrofes subdividas em 8 versos cada iniciados com letras do alfabeto hebraico. É um poema que coloca a Palavra de Deus como a fonte do verdadeiro conhecimento.
Por que devemos estudar a Palavra de Deus? Você já perguntou a si mesmo sobre onde encontrar o verdadeiro conhecimento? O que é verdadeiro sobre você? O que é verdadeiro sobre as pessoas? O que é verdadeiro sobre o seu futuro? O que é verdadeiro sobre o seu passado? O que é verdadeiro sobre uma vida boa? O que é verdadeiro sobre o seu casamento? O que é verdadeiro sobre Deus?  Então você precisa mudar sua maneira de ver a Bíblia e sobre a forma de estuda-la, porque você precisa ir até a Palavra de Deus. Ela ensina só que é verdadeiro sobre esses e muitos outros assuntos da vida. Ela é a vontade de Deus revelada! No Salmo 119 encontraremos o desejo de buscarmos o verdadeiro conhecimento da Palavra de Deus.

      1.Creia na Palavra de Deus (v.142)
a.A Palavra de Deus diz o que é verdadeiro. Não podemos confiar em tudo o que lemos e ouvimos hoje em dia. Não podemos confiar em todas as informações que nos são passadas. Existe uma profunda desconfiança na sociedade atualmente. No que se apoiar? No que crer? O salmista afirma “confio na tua Palavra” (v.42). Por quê podemos crer na Palavra de Deus como direção para as nossas vidas? Por que posso crer na Palavra de Deus como direção para tomar uma decisão, para orientar meu casamento, para orientar meu futuro, dar o próximo passo? Por quê?
I.A Palavra de Deus está firmada no céu. (v.89) Isto significa que ela está acima de todos e não muda. Ela está acima do meu conhecimento humano, das ciências humanas, das verdades dos filósofos. As ciências mudam, as verdades ficam obsoletas, mas a Palavra não muda. “Céus e terra passarão, mas as minhas palavras não passará” (Mateus 24:35), disse Jesus. Confie na Palavra de Deus.
II.Ela é perfeita ilimitadamente (v.96) A palavra dos homens e das ciências não são exatas, mas a Palavra de Deus é livre de corrupção. Deus não negocia a verdade. Confie na Palavra de Deus.
III.Ela é justa e dura para sempre (v.160) A palavra de Deus não envelhece, é sempre atual. Ela nunca se desgasta. Livros passam, mas ela tem permanecido por gerações. Confie na Palavra de Deus.
b.A palavra de Deus fornece o que é bom. Irmãos e irmãs, vejo tanta gente infeliz e desgastada na vida dentro da igreja mesmo e sem orientação. Tanta gente correndo para livros de auto-ajuda, buscando respostas em homens e profetas. O convite de Deus hoje é para que você se aproxime da Palavra para ter sua vida transformada de verdade. Sabe por que? I) A palavra de Deus é o caminho da felicidade (v.1-2); II) É o caminho para evitar a vergonha (v.6); III) É o caminho da verdadeira segurança (v.9); IV) É o caminho do bom conselho (v.24); V) É o caminho da fonte de força real (v.28); VI) É o caminho da verdadeira esperança (v.43). VII) Ela é o caminho da verdadeira sabedoria (98-100).

      2. Sinta e deseje a Palavra de Deus (v.97)
Muita gente pensa que apenas deve crer na Palavra, mas ela precisa ser amada para ter efeito em nossas vidas. Ao conviver com pessoas somos transformados. A experiência dos relacionamentos nos muda. Assim também aos nos aproximarmos das Escrituras com um coração submisso buscando o verdadeiro conhecimento somos transformados e não apenas informados. Ela é a verdade. Portanto, é a afeição pela Palavra e o desejo pelo verdadeiro conhecimento que nos transforma. Existem 6 palavras no grego para conhecer, mas quero destacar duas delas. Existe o termo ginosko que é conhecer pela experiência e eido tem o sentido de conhecer intelectualmente, por meio da observação; conhecimento objetivo e impessoal. Essa palavra ginosko no novo testamento é usada quando um homem conhece uma mulher na intimidade, isto é, uma um conhecimento fruto de uma experiência íntima e pessoal. Quando Jesus diz: “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” ele usa o termo é ginosko para o “conhecereis”. Ambas devem andar de mãos dadas. Portanto, o tipo de conhecimento que Deus deseja que sua igreja desenvolva é um conhecer profundamente íntimo e pessoal, apaixonante e transformador. O conhecimento (eido) que alcançou a mente precisa se tornar conhecimento (ginosko) e alcançar o coração, isto é, se o conhecimento não gera uma experiência profunda e íntima, se ela não é sentida, então não haverá uma mudança de verdade. Como isso ocorre?
I.Se deleite na Palavra. Se deleitar é o mesmo que se deliciar. O salmista se deleita: I) Se alegrando (v.14); II) Tendo nela prazer (v.24); III) Se compraz, isto é, sorri (v.70); IV) Saboreando (v.103). O Salmo 1:3 o salmista tem prazer na Lei do Senhor meditando nela dia e noite. Esse é o primeiro grande passo para que haja um conhecimento experiencial e transformador. Tenha prazer na Palavra de Deus.
II.Deseje a Palavra. Pelo menos 14 vezes o salmista diz ter o desejo de conhecer e compreender a Palavra de Deus (v. 18, 19, 27, 29, 33, 34, 35, 64, 66, 73, 124, 125, 135, 169). Você deseja do fundo do seu coração conhecer a Deus e experimentar a sua vontade? Você quer uma direção para seu casamento, para seus filhos, para as suas finanças, para seu ministério? Você quer uma resposta concreta para o momento que está vivendo? Deus quer leva-lo a uma profunda experiência ao desejar ouvir Sua voz por meio da Palavra. Por isso, o estudo que busca um conhecimento transformador é fruto de um profundo desejo por Deus por meio da Palavra. Estudar a Bíblia é muito mais do que adquirir informação, é transformação de vida!
III.Dependa da Palavra. Atualmente muita gente tem amordaçado a Palavra de Deus em suas vidas com os seguintes dizeres: “Não podemos levar muito a sério certas coisas na Bíblia. É muito forte e Deus compreende que não dá para levar tão a sério certas afirmações sobre perdão, arrependimento, pecados, etc.” Outros tem amordaçado a Palavra de Deus tendo o seguinte pensamento: “Esse livro é irrelevante, difícil e tedioso.” Essas pessoas não entenderão o que é depender da Palavra, e consequentemente não terão fé suficiente para entender o que é depender de Deus. Depender da palavra de Deus é não agir sem ter a certeza de que as nossas ações e decisões são aprovadas por Ele. Você estuda para ter um conhecimento que transformará a sua vida. Alguém que depende da Palavra congrega porque ela diz: “Não deixemos de congregar”. Jesus nos ensinou: “Não só de pão viverá o homem, mas de toda a Palavra que procede da boca de Deus!” (Deuteronômio 8:3; Mateus 4:4). Ter fome da Palavra é reconhecer que a nossa vida depende Dela.

      3.Reflita em atitudes a Palavra de Deus (v.105)
Observe que se creio na Palavra, se sinto por ela afeição e a desejo com todo o meu coração, então minhas atitudes consequentemente serão transformadas. Isso é algo do coração, mais do que das atitudes. Santidade na vida é reflexo da santidade na mente e no coração. Paulo escreveu: “transformai-vos pela renovação da vossa mente para que experimenteis (vivam, ajam) a boa, perfeita e agradável vontade de Deus. Um hábito apenas muda quando estamos esclarecidos que ele é ruim ou necessário mudar. Ou seja, através do conhecimento nos convencemos e sentimos a necessidade de mudança e vivemos por ela. A Palavra crida e experimentada, sentida, iluminará os nossos passos e nos guiará no modo de viver. Quero citar dois exemplo de homens guiado, um pela palavra e outro guiado pelas circunstâncias da vida não dando o devido crédito à Palavra. São eles Saul e Davi.
a.Saul Ele é guiado por circunstâncias e não por Deus. Veja comigo I Samuel 15:1-4 e compare com I Samuel 15:9-11; 18-22; 26. Saul rejeitou a Palavra do Senhor e assim era o seu coração.
b.Davi Davi buscava a direção de Deus, a voz de Deus para tomar decisões. Veja comigo I Samuel 30:1-8. Davi depositava totalmente seu coração no Senhor.

Você quer apenas informação? Você quer apenas conhecimento para encher a mente? Ou você quer um conhecimento experiencial que transforma a sua mente e a Palavra de Deus passa a ser, de fato, sua regra de fé e prática? Estude a Palavra para ter uma vida transformada.


Rodrigo Rodrigues Lima, Pastor