segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Pequenas Reflexões - 22/01/2018: "Filho ou empregado?"

Pequenas Reflexões - 22/01/18
Filho ou empregado?
Lucas 15:31

Um rapaz muito dedicado procurou agradar ao seu pai trabalhando duro na empresa. Era o primeiro a chegar, entregava os relatórios em dia e era muito zeloso.
Um dia seu irmão caçula e gastão que estava desaparecido retornou aos cacos e tdiferente para casa e seu pai lhe deu uma festa para celebrar a vida.
O filho dedicado ao ver aquela recepção ficou bravo com a atitude do pai e resolveu jogar na cara todo o seu esforço de excelente empregado. O pai sabiamente lhe disse: “Por que você pensa e age como empregado? Você é meu filho! Tudo o que eu tenho é seu também”. 
Essa história te lembra uma parábola, certo? Bem, em seu ministério e em sua vida como um todo, você tem agido como filho ou como empregado? No seu coração você vive como filho ou como empregado? Deus o tornou filho! Viva segundo a sua nova identidade.

Pr Rodrigo 
Igreja Metodista Livre de Vila Moraes

sábado, 13 de janeiro de 2018

Identidade, poder e missão! (PARTE 1) - Marcos 1:9-17

Identidade, poder e missão! (PARTE 1)
Marcos 1:9-17

Há princípios valiosos a respeito da vida e do ministério de Jesus que são norteadores para nós. Como discípulos do Mestre seguimos suas pegadas e valores sendo reflexo Dele em nós. Ele é o nosso mentor-mor, nosso Senhor absoluto e modelo. Jesus é o parâmetro para as nossas escolhas e ações.
A vinda de Jesus à terra inaugurou o Reino de Deus (Marcos 1:15). Ele veio para buscar e salvar o perdido (Lucas 19:10). Ele é a Rocha sobre a qual estabeleceu a Sua igreja (Mateus 16:18). Ele nos salvou e agora nos fez ministros da reconciliação (II Coríntios 5:18). Edificamos a sua igreja, o Corpo de Cristo (Efésios 4:12). Edificar é reconstruir. Edificar o corpo é, na verdade, reconstruir pessoas. Reconstruir casamentos, reconstruir a identidade e restabelecer a aliança com Deus. Edificação é transformação. Deus nos tornou agentes desse Reino e dessa edificação. Mas, como isso se dá?
Quando olho para vida de Jesus, observo que o que Ele realizava tinha muito mais a ver com quem o designou, o Pai. Na obra de Deus, a nossa missão tem muito mais a ver com quem nos chama ou escolhe do que com o que fazemos. É relacionamento com Deus e vocação de Deus. Deus nos escolheu para sermos conforme a imagem de Jesus (Efésios 1:4), ou seja, Ele não disse para sermos, mas nos escolheu para sermos. É completamente diferente! Se sou algo, sou porque Ele me escolheu, me chamou, me separou para ser algo Nele. Ele não quer que você seja um instrumento de benção, pois, se Ele escolheu você, logo, você é um instrumento de benção!
A porção de Marcos 1:9-17 nos mostra a fonte de identidade, a fonte do poder e a fonte da missão de Jesus baseado em quem Ele é e não no que Ele pode fazer. Porque Ele foi enviado pelo Pai, sendo um com o Pai, pode cumprir sua vocação, o seu chamado.
Se sou algo, sou porque Ele me escolheu, me chamou, me separou para ser algo Nele. Ele não quer que você seja um instrumento de benção, pois, se Ele escolheu você, logo, você é um instrumento de benção! Assim sendo...

1.Jesus rompeu com o lugar das improbabilidades (v.9)
a.Jesus veio de um lugar improvável (v.9). Jesus era de Nazaré. Nazaré era um vilarejo muito pequeno, portanto, um lugar desprezado. No evangelho de João 1:46 está registrado o diálogo entre Felipe e Natanael. Este, sem cerimônias pergunta: “De Nazaré pode sair alguma coisa boa?”
b.Jesus veio de um lugar de incrédulos quanto ao seu ministério (Marcos 6:1; 3; 5). Apesar de pequena, Nazaré se escandalizou com Jesus. Eles não enxergavam em Jesus o Filho de Deus, o escolhido e vocacionado, mas o filho de Maria e José. A incredulidade, fruto da familiarização, impediu que Jesus realizasse milagres. O incrédulo não vê a ação de Deus, mas as limitações do homem. O familiarizado não acredita que Deus possa estar escolhendo o improvável, porque vê segundo a perspectiva humana como ocorreu com Davi.  

O que eu aprendo com essa situação? I) Uma vez escolhido por Deus, não existe lugar ou pessoa improvável e muito menos limitações que impedirão a realização da obra de Deus; II) Uma vez escolhido por Deus, você poderá suscitar inimigos e resistências, mas deverá manter-se firme na sua vocação, afinal, você é um escolhido de Deus. É por isso que você pode liderar uma casa de paz e uma célula! Não porque você seja capaz, mas porque Deus escolheu você para fazer discípulos, para influenciar, enfim, para liderar.

Agora, para aqueles que não acreditam que Deus possa usar fulano ou beltrano, ou que não possa realizar maravilhas em nosso meio, os escolhidos não ficarão limitados aqui. Deus os levará para outro lugar! Se quisermos ver sinais de Deus em nosso meio, precisamos crer que Deus pode usar do mais simples ao mais capaz em nosso meio. Deus não está limitado por nossa história de vida, por nossos poucos recursos ou qualquer outra coisa, mas a nossa incredulidade pode sim limitar a ação de Deus em nosso meio.
Se você não crê que Deus está agindo e falando na vida do seu pastor, líder ou irmão, pouco você poderá experimentar da ação de Deus. Não compete a nós julgar, mas compete a nós ajudar, potencializar e guiar porque somos escolhidos de Deus e é isso que nos levará a avançar.
Amada igreja, Jesus não se deixou limitar. Ele partiu dali (Lucas 4:30). Entretanto, também há aqueles que sofrem da “síndrome de Nazaré”. Ao invés de se verem escolhidas e vocacionadas, como de fato são, elas preferem limitar a si mesmas. Essas pessoas limitam a ação de Deus sobre si mesmas, pois, não usufruem da sua real identidade (v.11). “Tu és meu filho amado”.
Se sou algo, sou porque Ele me escolheu, me chamou, me separou para ser algo Nele. Ele não quer que você seja um instrumento de benção, pois, se Ele escolheu você, logo, você é um instrumento de benção! Assim sendo...

2.Jesus tinha visão espiritual e recebeu poder para o seu ministério (v.10)
a.O poder vem do alto (v.10) É possível termos um ministério poderoso e abençoado igual ao de Jesus. Para isso precisamos de revestimento do alto. Jesus não faz nada sem antes receber o revestimento e a capacitação. Ele enfrentaria desafios e dificuldades, por isso, precisava de poder. Nós também enfrentaremos desafios e dificuldades, mas temos conosco o poder! Qual foi a ordem de Jesus aos seus discípulos? “Fiquem em Jerusalém até que sejam revestidos de poder do alto” (Lucas 24:49). O que é o alto, senão de cima, do céu? De onde veio a pomba que pousou sobre Jesus? O Espírito desceu do céu! Eu tenho que nascer do alto para pensar e agir como alguém do alto e que recebe poder do alto! A igreja precisa de revestimento para viver sua nova identidade e cumprir sua missão (Atos 1:8).
O que ocorre com alguém que vive segundo a sua identidade de filho (Marcos 1:10) e assume sua missão (Marcos 1:15)?
I.Recebe poder para resistir às tentações e ao pecado (1:13). Esse poder capacitou a Cristo. Quero dizer que não se busca poder para vencer as tentações, porém, pelo fato de estarmos cheios de poder é que venceremos as tentações. As tentações sempre existirão. Não apenas tentações sexuais ou financeiras, mas tentações de orgulho, de manipulação, de invejas, tentações fruto da vaidade e do uso do poder para benefício próprio. Ser cheio do Espírito é ser cheio de Deus, logo, uma vez cheios de Deus não haverá espaço para pecado. Isso significa dependência de Deus e direção, que é uma vida no Espírito, uma vida no poder (João 3:8); II.Recebe poder para proclamar a mensagem de arrependimento (1:15). Esse é o processo natural que descrevemos ao observar a igreja primitiva. “Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse...” (Atos 4:8); “Ao verem a ousadia de Pedro e João...” (Atos 4:13); “...cheios do Espírito Santo...com ousadia, anunciavam” (Atos 4:31). Isso significa dependência de Deus e direção, que é uma vida no Espírito, uma vida no poder (João 3:8)
b.O poder é revestimento para o ministério (v.10) Deus derramou o Seu Espírito sobre nós para cumprirmos a missão porque somos escolhidos Dele! Jesus, ao receber esse revestimento, no dia em que foi rejeitado em Nazaré, abre as Escrituras em Isaías 61:1-2 e nos mostra o que significa ser o escolhido, o enviado e o que significa receber revestimento do Espírito conforme registra Lucas 4:18:19 e essa palavra é para todo aquele que é Filho de Deus. Abra comigo e leia comigo: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e proclamar o ano aceitável do Senhor”. Igreja, isso não é um peso sobre nós como se fosse uma obrigação ou dever, não! Essa não é a nossa identidade, não. Esse texto é um empoderamento que recebemos, é poder! É autoridade! É vida de Deus através de nós. O Espírito do Senhor está sobre nós e nos ungiu para sermos agentes de transformação, de reconstrução de lares, de vidas, de pessoas quebradas e destruídas. Elas estão por aí e nós somos o que somos com esse poder sem igual. Satanás pode criar suas armas espirituais de última geração, mas nós detemos a maior tecnologia e nessa história já sabemos o resultado final. “As portas do inferno não prevalecerão contra a igreja do Senhor.

Rodrigo Rodrigues Lima

Pastor

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Princípios essenciais da visão celular

Princípios essenciais da visão celular

1.Dependência de Jesus Cristo através da oração

Não é a possível ter uma igreja celular forte sem uma intensa vida de oração.
Oração é a chave. É uma guerra espiritual. Devemos pagar o preço da oração.
Não importa como a forma e a agenda de oração, mas é necessário orar. Deus é quem dá o êxito, portanto, precisamos crescer na dependência de Deus através da oração. Deus deve dar o crescimento.

2.O pastor titular deve dar à liderança uma visão forte sobre células

O pastor é o principal líder celular. Tem que haver uma paixão para fazê-lo. Esteja pronto para morrer nessa montanha. Deve estar totalmente comprometido para continuar a transição. Visão tem que me ter. A visão deve me ganhar. Começa com a célula piloto. O homem da célula na igreja é o pastor titular.  O pastor deve ter concentração e foco nisso! Isso não significa que o Pastor fará tudo, mas ele deve delegar. Essa é a ideia através da ideia celular. A carga é dividida. O pastor deve ter uma equipe focada nisso.

3.A visão celular é a coluna vertebral da igreja

Concentração é essencial. O pastor deve dizer não para tudo aqui que quer concorrer com a visão. Foco é sempre DIZER NÃO. Deve em breve mudar para INTEGRAÇÃO. Pouco a pouco as pessoas aprenderão que estar na igreja é estar na célula. Para ter um ministério na igreja é necessário estar na célula. Logo é necessário estar liderando uma célula. Multiplicar uma célula significa foco em vidas.

4.Uma clara definição de célula

A falta de definição leva a perder a qualidade. Deve se pensar com uma definição clara. Um grupo de pessoas não significa ser uma célula. O que define uma célula? 3 a 15 pessoas que se reúnem semanalmente como uma celebração, fora do prédio para alcançar os não crentes, evangelizando. Uma célula deve estar evangelizando! Deve haver companheirismo na célula e discipulado, ou seja, crescer espiritualmente tendo em mente o propósito de multiplicar-se. A reprodução é a meta de todo grupo celular. Deve haver um claro treinamento de líderes para as células. Deve haver um cuidado com os líderes. Os supervisores devem cuidar dos líderes.
A essência da célula é a edificação do corpo de Cristo. A edificação é a reconstrução da vida. A célula é o lugar para as pessoas serem reconstruídas, restauradas, edificadas segundo o plano de Deus. O trabalho do líder de célula é reconstruir a vida das pessoas. Reconstruir corações, casamentos etc. O ponto não é quantidade de pessoas, mas a reconstrução e preparo dessas pessoas para que possam estar aptas para reconstruir outras vidas. Isso é edificar em Cristo. Reconstruir pessoas! As pessoas são corpo de Cristo! Vamos edificar! Vamos reconstruir! Por isso, é necessário haver transparência. O líder é o primeiro e ser transparente compartilhando suas dificuldades e como Deus está provendo em sua vida. EDIFICAÇÃO É TRANSFORMAÇÃO. Isso gerará amizades intimas.
Uma célula equilibrada em Cristo como centro! Sem Cristo como centro, edificação é grupo de aconselhamento, sem Cristo como centro, o discipulado vira treinamento. Cristo é o equilíbrio! Cristo deve ser a cabeça, o equilíbrio do grupo onde o líder é guiado por Cristo e pelo Espírito Santo.
Um líder excelente evita o mini-culto na célula. Ele deve focar em reconstruir, edificar guiado por Cristo. Um líder excelente é alguém que facilita o compartilhar e apenas escuta. Os piores líderes são aqueles que querem ouvir para responder. A tarefa do líder não é responder, mas escutar e guiar a Cristo.
A tarefa do líder não é impressionar com seu conhecimento e essa célula certamente não se multiplicará porque ninguém se sentirá capaz de ser como esse líder. Portanto deve ser simples! Portanto, o grupo deve ser pequeno.
O líder excelente tem cuidado com seus comentários e quando ouvir cada resposta deve fazê-lo positivamente. A célula não é lugar de debate, mas de compartilhar a vida. Sempre diga: “Excelente”. “Obrigado por sua resposta”. “Vamos ver o que a Bíblia diz.”

IMPORTANTE: Se você está muito cansado depois de um dia de trabalho pesado, informe a sua célula porque as pessoas saberão que você está cansado. Isso é muito importante! Divida a tarefa.   

O que fazer com os faladores?

a)Sente-se ao lado dele para evitar contato visual;
b)Quando lançar a pergunta, faça-a direcionada pedindo opinião de outra pessoa;

c)Peça ajuda ao falador para que ele te ajude a levar as outras pessoas a falar;
d)Converse com essa pessoa após a reunião dizendo a ela que todos precisam participar.

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Pequenas Reflexões - 11/01/2018: Vocação / Missão

Pequenas Reflexões - 11/01/2018
Vocação / Missão 
Mateus 3:11 / Mateus 11:14

Como gosto desse tema. Quando se tem uma real clareza da vocação, não se deseja mais nada além. Cumprir o propósito da sua vida guiado por Deus. Outros à nossa volta percebem o mesmo. João Batista nasceu para ser o precursor do Messias. Entrou e ficou para a história como alguém que, focado cumpriu a sua missão e morreu íntegro, pleno em Deus.
Não ter essa clareza pode desorientar.
Deus tem um propósito para você. Você nasceu com uma vocação, um chamado. Sua prioridade não é saber exatamente o que deve fazer, mas simplesmente estar com Ele. Esse é o primeiro grande passo para ouvir a Voz que chama e direciona.

Pr Rodrigo

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Pequenas Reflexões - 08/01/2018: Não viu, mas creu!

Pequenas Reflexões - 08/01/2018
Não viu, mas creu! 
João 20:29

Quando o Filho do Homem vier, achará fé na terra? Vivemos uma era de descrença e apostasia. 
Crer para salvação é confiar que o sacrifício de Jesus operou suficientemente para sermos perdoados e aceitos por Deus. Ele nos declarou justos perante Ele e por essa mesma condição, a fé, experimentamos a Sua dádiva de uma nova vida! Seu Espírito passou a habitar em mim e vivo para Ele de fé em fé porque sem fé é impossível agradar a Deus! Se preciso ver para crer, então não preciso de fé, logo, como agradá-lo? O que O agrada é simplesmente crer. Há provas de fé e com elas tenho aprendido a conhece-Lo! Abraão foi justificado pela fé e não por méritos humanos! Ele confiou e viveu para o Pai de fé em fé. Ele creu. Creia! Confie no Pai! Viva de fé em fé e O conheça!

Pr Rodrigo 

sábado, 6 de janeiro de 2018

​Teologia que revitaliza - Tito em Creta - PARTE 1

Teologia que revitaliza - Tito em Creta - PARTE 1
Tito 1:1-3; 1:16; 2:11-14; 3:4-7

Sabemos que Paulo é mentor do pastor da revitalização em Creta orientando-o. Sabemos que Tito é o pastor que lidera a revitalização. Mas, por que revitalizar? No que consiste a teologia que revitaliza uma igreja?

Quando começa e quando termina a revitalização?
A igreja é um organismo vivo, e como tal, ela precisa estar no pleno vigor, cheia de vitalidade. Assim sendo, revitalização é um contínuo na vida da igreja.

Revitalizar a estrutura ou a mensagem?
O vinho precisa ser conservado, por isso, o odre precisa ser renovado. Se não trocar o odre quando necessário, ele envelhece e se rompe.
Temos uma mensagem que não muda, porém, ela deve ser preservada e contextualizada sem perder sua essência, geração após geração. A forma como a igreja se estrutura para propagar a mensagem e cumprir a grande comissão é importante e precisará ser avaliada quando a mensagem já não estiver chegando aos ouvintes. O esforço quanto à mensagem é de mantê-la sempre simples e compreensível para cada geração.

Algumas igrejas perdem pessoas e até fecham porque estão supervalorizando o odre em detrimento ao vinho porque caiu na armadilha da relevância sem reflexão. Tanto o odre quanto o vinho são importantes, pois, formam um conjunto! Outras igrejas, na ânsia por relevância estão comunicando uma mensagem híbrida, misturando o vinho com "outros fluídos" diluindo a pureza da mensagem, oferecendo um produto que gera resultados imediatos em termos numéricos e financeiros, entretanto, sem haver transformação de vidas.

Podemos mudar a cor da parede, o estilo musical, a forma de expor a mensagem, o nome da escola dominical, o sistema de governo, a liderança, o prédio e tudo o que for necessário em termos de estrutura, mas se tudo isso for um fim em si mesmo, sem considerar a razão pela qual se promovem as mudanças, a aparente revitalização a médio ou longo prazo se resumirá a resultados trágicos que variam de platô e estagnação a desvirtuação doutrinária e até encerramento das atividades.
A revitalização não é um momento, mas o contínuo de uma igreja que reconhece a urgência de sua tarefa. A reconciliação do homem com Deus é a tarefa dos embaixadores do Reino de Deus. O ponto de referência é a restauração da nossa identidade de filhos de Deus, o "façamos o homem à nossa imagem, conforme à nossa semelhança" e isso é salvação. Portanto, o princípio da revtialização é o propósito eterno de Deus, de sermos conforme à imagem do Seu Filho Jesus Cristo.

Aqui está o aspecto mais sensível da revitalização, o coração dessa tarefa. Qual é o teor da mensagem que revitaliza?

Antes precisamos fazer algumas perguntas: Tudo o que fazemos na vida da igreja, desde ajuntamentos dominicais, ações sociais, os departamentos ou ministérios, células ou pequenos grupos, cursos, treinamentos, teologia das canções, mensagens, boletins, teatro, enfim, tudo o que ocorre dentro de uma igreja local e a nível denominacional, têm seus membros e líderes uma clara compreensão do por que fazem o que fazem? Suas ações são norteados por esse propósito eterno, isto é, a reconciliação do homem com Deus, a restauração à imagem de Seu Filho sendo manifestado aqui em obras, em suma, a salvação? Conseguem mensurar suas ações e dizer objetivamente e apresentar frutos concretos como resultado delas norteados pelo propósito eterno?

Aplicando o propósito eterno e as perguntas acima na árdua tarefa de Tito em Creta, essa carta nos oferece blocos que tratam do teor da mensagem que revitaliza, e digo mais, aquilo para qual a estrutura está se montando naquela cidade. Paulo não deixa de mencioná-la. Portanto veremos aqui o conteúdo da mensagem que revitaliza, as doutrinas que Paulo descreve que se torna o meio e o fim da organização dessa igreja em Creta.

Pr. Rodrigo Rodrigues Lima

Leia também:

1)  Tito - O Pastor Revitalizador

 2) Paulo - O Mentor da revitalização em Creta

Pequenas Reflexões - 06/01/2018: Avivamento - chuva serôdia

Pequenas Reflexões - 06/01/2018
Avivamento - chuva serôdia 
Oseias 6:3

Perseverança em conhecer a Deus! Eu quero avivamento! Chuva, como todos sabemos é o resultado da evaporação da água que sobe. 
Avivamento! Deus se derramando sobre nós é resultado das orações que sobem. Só mais um pouco meu irmão e minha irmã! Persevere porque a chuva serôdia, a última chuva antes da primavera está para ser derramada! Ore um pouco mais, pois elas estão subindo e logo cairá sobre nós um grande avivamento! Derrama sobre nós Senhor! 


Pr Rodrigo