sábado, 5 de agosto de 2017

Crer, Sentir e Fazer – O Estudo da Palavra que Transforma

Crer, Sentir e Fazer – O Estudo da Palavra que Transforma

Nós vivemos uma era de muita informação, mas de pouco conhecimento. Há diferença entre informação e conhecimento? Sim! A informação são opiniões, fatos e dados que não provocam mudanças, mas são importantes. Já o conhecimento seria um entendimento que se coloca acima de qualquer opinião que é capaz de provocar mudanças. Você é informado que existe a gripe, sabe como pegá-la e como evitá-la, mas o médico tem o conhecimento capaz de curá-lo da gripe.
Temos acesso à informação com o advento da internet. 43% da população mundial tem acesso à informação através desse recurso.
De cara, quero chamar você à reflexão e lhe perguntar: A sua relação com a Palavra de Deus é de alguém que está informado sobre ela conhecendo suas histórias e livros ou de alguém que a conhece a ponto de ser transformado.
O sermão desta manhã tem como base o livro LEVANDO DEUS A SÉRIO de Kevin DeYoung que faz uma reflexão sobre o Salmo 119.
O Salmo 119 é um acróstico é uma exaltação à Palavra de Deus. É o mais longo da Bíblia contendo 176 versículos, divido em 22 estrofes subdividas em 8 versos cada iniciados com letras do alfabeto hebraico. É um poema que coloca a Palavra de Deus como a fonte do verdadeiro conhecimento.
Por que devemos estudar a Palavra de Deus? Você já perguntou a si mesmo sobre onde encontrar o verdadeiro conhecimento? O que é verdadeiro sobre você? O que é verdadeiro sobre as pessoas? O que é verdadeiro sobre o seu futuro? O que é verdadeiro sobre o seu passado? O que é verdadeiro sobre uma vida boa? O que é verdadeiro sobre o seu casamento? O que é verdadeiro sobre Deus?  Então você precisa mudar sua maneira de ver a Bíblia e sobre a forma de estuda-la, porque você precisa ir até a Palavra de Deus. Ela ensina só que é verdadeiro sobre esses e muitos outros assuntos da vida. Ela é a vontade de Deus revelada! No Salmo 119 encontraremos o desejo de buscarmos o verdadeiro conhecimento da Palavra de Deus.

      1.Creia na Palavra de Deus (v.142)
a.A Palavra de Deus diz o que é verdadeiro. Não podemos confiar em tudo o que lemos e ouvimos hoje em dia. Não podemos confiar em todas as informações que nos são passadas. Existe uma profunda desconfiança na sociedade atualmente. No que se apoiar? No que crer? O salmista afirma “confio na tua Palavra” (v.42). Por quê podemos crer na Palavra de Deus como direção para as nossas vidas? Por que posso crer na Palavra de Deus como direção para tomar uma decisão, para orientar meu casamento, para orientar meu futuro, dar o próximo passo? Por quê?
I.A Palavra de Deus está firmada no céu. (v.89) Isto significa que ela está acima de todos e não muda. Ela está acima do meu conhecimento humano, das ciências humanas, das verdades dos filósofos. As ciências mudam, as verdades ficam obsoletas, mas a Palavra não muda. “Céus e terra passarão, mas as minhas palavras não passará” (Mateus 24:35), disse Jesus. Confie na Palavra de Deus.
II.Ela é perfeita ilimitadamente (v.96) A palavra dos homens e das ciências não são exatas, mas a Palavra de Deus é livre de corrupção. Deus não negocia a verdade. Confie na Palavra de Deus.
III.Ela é justa e dura para sempre (v.160) A palavra de Deus não envelhece, é sempre atual. Ela nunca se desgasta. Livros passam, mas ela tem permanecido por gerações. Confie na Palavra de Deus.
b.A palavra de Deus fornece o que é bom. Irmãos e irmãs, vejo tanta gente infeliz e desgastada na vida dentro da igreja mesmo e sem orientação. Tanta gente correndo para livros de auto-ajuda, buscando respostas em homens e profetas. O convite de Deus hoje é para que você se aproxime da Palavra para ter sua vida transformada de verdade. Sabe por que? I) A palavra de Deus é o caminho da felicidade (v.1-2); II) É o caminho para evitar a vergonha (v.6); III) É o caminho da verdadeira segurança (v.9); IV) É o caminho do bom conselho (v.24); V) É o caminho da fonte de força real (v.28); VI) É o caminho da verdadeira esperança (v.43). VII) Ela é o caminho da verdadeira sabedoria (98-100).

      2. Sinta e deseje a Palavra de Deus (v.97)
Muita gente pensa que apenas deve crer na Palavra, mas ela precisa ser amada para ter efeito em nossas vidas. Ao conviver com pessoas somos transformados. A experiência dos relacionamentos nos muda. Assim também aos nos aproximarmos das Escrituras com um coração submisso buscando o verdadeiro conhecimento somos transformados e não apenas informados. Ela é a verdade. Portanto, é a afeição pela Palavra e o desejo pelo verdadeiro conhecimento que nos transforma. Existem 6 palavras no grego para conhecer, mas quero destacar duas delas. Existe o termo ginosko que é conhecer pela experiência e eido tem o sentido de conhecer intelectualmente, por meio da observação; conhecimento objetivo e impessoal. Essa palavra ginosko no novo testamento é usada quando um homem conhece uma mulher na intimidade, isto é, uma um conhecimento fruto de uma experiência íntima e pessoal. Quando Jesus diz: “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” ele usa o termo é ginosko para o “conhecereis”. Ambas devem andar de mãos dadas. Portanto, o tipo de conhecimento que Deus deseja que sua igreja desenvolva é um conhecer profundamente íntimo e pessoal, apaixonante e transformador. O conhecimento (eido) que alcançou a mente precisa se tornar conhecimento (ginosko) e alcançar o coração, isto é, se o conhecimento não gera uma experiência profunda e íntima, se ela não é sentida, então não haverá uma mudança de verdade. Como isso ocorre?
I.Se deleite na Palavra. Se deleitar é o mesmo que se deliciar. O salmista se deleita: I) Se alegrando (v.14); II) Tendo nela prazer (v.24); III) Se compraz, isto é, sorri (v.70); IV) Saboreando (v.103). O Salmo 1:3 o salmista tem prazer na Lei do Senhor meditando nela dia e noite. Esse é o primeiro grande passo para que haja um conhecimento experiencial e transformador. Tenha prazer na Palavra de Deus.
II.Deseje a Palavra. Pelo menos 14 vezes o salmista diz ter o desejo de conhecer e compreender a Palavra de Deus (v. 18, 19, 27, 29, 33, 34, 35, 64, 66, 73, 124, 125, 135, 169). Você deseja do fundo do seu coração conhecer a Deus e experimentar a sua vontade? Você quer uma direção para seu casamento, para seus filhos, para as suas finanças, para seu ministério? Você quer uma resposta concreta para o momento que está vivendo? Deus quer leva-lo a uma profunda experiência ao desejar ouvir Sua voz por meio da Palavra. Por isso, o estudo que busca um conhecimento transformador é fruto de um profundo desejo por Deus por meio da Palavra. Estudar a Bíblia é muito mais do que adquirir informação, é transformação de vida!
III.Dependa da Palavra. Atualmente muita gente tem amordaçado a Palavra de Deus em suas vidas com os seguintes dizeres: “Não podemos levar muito a sério certas coisas na Bíblia. É muito forte e Deus compreende que não dá para levar tão a sério certas afirmações sobre perdão, arrependimento, pecados, etc.” Outros tem amordaçado a Palavra de Deus tendo o seguinte pensamento: “Esse livro é irrelevante, difícil e tedioso.” Essas pessoas não entenderão o que é depender da Palavra, e consequentemente não terão fé suficiente para entender o que é depender de Deus. Depender da palavra de Deus é não agir sem ter a certeza de que as nossas ações e decisões são aprovadas por Ele. Você estuda para ter um conhecimento que transformará a sua vida. Alguém que depende da Palavra congrega porque ela diz: “Não deixemos de congregar”. Jesus nos ensinou: “Não só de pão viverá o homem, mas de toda a Palavra que procede da boca de Deus!” (Deuteronômio 8:3; Mateus 4:4). Ter fome da Palavra é reconhecer que a nossa vida depende Dela.

      3.Reflita em atitudes a Palavra de Deus (v.105)
Observe que se creio na Palavra, se sinto por ela afeição e a desejo com todo o meu coração, então minhas atitudes consequentemente serão transformadas. Isso é algo do coração, mais do que das atitudes. Santidade na vida é reflexo da santidade na mente e no coração. Paulo escreveu: “transformai-vos pela renovação da vossa mente para que experimenteis (vivam, ajam) a boa, perfeita e agradável vontade de Deus. Um hábito apenas muda quando estamos esclarecidos que ele é ruim ou necessário mudar. Ou seja, através do conhecimento nos convencemos e sentimos a necessidade de mudança e vivemos por ela. A Palavra crida e experimentada, sentida, iluminará os nossos passos e nos guiará no modo de viver. Quero citar dois exemplo de homens guiado, um pela palavra e outro guiado pelas circunstâncias da vida não dando o devido crédito à Palavra. São eles Saul e Davi.
a.Saul Ele é guiado por circunstâncias e não por Deus. Veja comigo I Samuel 15:1-4 e compare com I Samuel 15:9-11; 18-22; 26. Saul rejeitou a Palavra do Senhor e assim era o seu coração.
b.Davi Davi buscava a direção de Deus, a voz de Deus para tomar decisões. Veja comigo I Samuel 30:1-8. Davi depositava totalmente seu coração no Senhor.

Você quer apenas informação? Você quer apenas conhecimento para encher a mente? Ou você quer um conhecimento experiencial que transforma a sua mente e a Palavra de Deus passa a ser, de fato, sua regra de fé e prática? Estude a Palavra para ter uma vida transformada.


Rodrigo Rodrigues Lima, Pastor

terça-feira, 25 de julho de 2017

Curso de Formação Pastoral - Coordenação Pr. Rodrigo Rodrigues Lima

Curso de Formação Pastoral

Objetivo: Formar líderes e pastores de confissão armínio-Wesleyana que servirão às suas comunidades locais espalhando a mensagem de santidade. Formar líderes segundo o coração de Deus.

Público alvo: Amantes da Palavra de Deus que desejam capacitação para servir melhor em sua igreja local.

Matérias: São ao todo 20 matérias que compreendem sistemáticas e ferramentas para o manuseio da Palavra de Deus.

Curso Modular: O curso funcionará no sistema MODULAR, ou seja, cada matéria será ministrada mensalmente. Você pode entrar em qualquer mês para cursar e terá seu diploma de formação pastoral ao término das 20 matérias.

Professores: Pastores de confissão arminio-wesleyana.

Dias de aula e horário: Duas vezes na semana às sextas e segundas das 19h30 às 22h00

Investimento por matéria: R$ 150,00. Pagamento até o quinto dia útil, R$ 100,00. Taxa de matrícula - R$ 50,00

Início das aulas: 07 de agosto

Local das aulas: Rua Pirapitingui, 165 - Liberdade (prox ao metrô São Joaquim)

Maiores informações e matrículas envie-nos um e-mail para: secretaria@ftml.com.br

Coordenação: Pr Rodrigo Lima
(11) 96277-2744 / (11) 5579-4629
Segue abaixo GRADE:

sexta-feira, 21 de julho de 2017

A verdadeira oração

A verdadeira oração!
Mateus 26:36-45

Amadas irmãs e amados irmãos, graça e paz. Hoje quero com você aprender a orar com Jesus no Getsêmani. A oração é uma relação pessoal de amizade com Deus. Ela não cabe num molde, antes, ela é pessoal, espontânea e transformadora. Trata-se de uma experiência do coração, do cultivo de uma relação de amor. Todos os que caminharam com Deus consideravam a oração a principal atividade da vida. No Getsêmani aprendemos a orar de verdade. Aprendemos a orar desejando as coisas que o Pai deseja, amar o que o Pai ama e a querer o que o Pai quer. O Getsêmani era o nome de um lugar ao pé do Monte das Oliveiras e seu significado é lagar de azeite. Lá havia uma ou duas pedras circulares enormes que giradas em círculos pressionavam o fruto da oliveira produzindo o azeite. Foi ali no lagar de azeite que Jesus escolheu fazer sua oração pessoal, espontânea e transformadora para cumprir o propósito do Pai. Foi ali que Ele escolheu se ver realizado no Pai. O que isso comunica a nós?

1.A verdadeira oração é autêntica e espontânea (v.37,38)
Jesus estava profundamente triste. Ficamos angustiados por problemas da vida e isso é algo absolutamente normal. Entretanto, nós cristãos que vivemos no século XXI onde existem muitas correntes teológicas, algumas delas que afirma que crente não sofre, criamos uma imagem de Deus como alguém que deveria nos poupar do sofrimento. O plano de Deus não é que você não sofra. Jesus mesmo disse: “No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” (João 16:33b) O sofrimento é algo inerente à nossa natureza pecaminosa. O plano de Deus é que você se pareça com o Seu Filho. Jesus que é Deus encarnado se identifica com a nossa humanidade! Qual outro Deus em todas as religiões do mundo topou se identificar com a nossa humanidade? Para Ele ser o Salvador, se fez necessário sentir o que sentimos. Ele veio para fazer a vontade do Pai. Ele disse: “[Pai] Eu te glorifiquei na terra, consumando a obra que me confiaste para fazer.” (João 17:4) Jesus nos ensinou que devemos chegar ao lugar secreto em oração. É aqui que aprendemos o verdadeiro significado da oração. O Pai está em secreto. Secreto, entretanto, não se trata de um local, mas de um estado de consciência. Lá encontramos o verdadeiro Deus. Somente chega neste lugar aquele que confia no Pai de forma espontânea. Essa oração nasce da alma. Jesus chega no lugar secreto e espontaneamente apresenta ao Pai seu desejo de livrar-se da angústia. Que angústia é essa?
I.A angústia de não ser poupado do sofrimento – Jesus não fez nada de errado! Mesmo assim, Jesus sofre o dano. Muitas pessoas deixam de buscar a Deus porque quando fazem a vontade de Deus se deparam com o oposto do que esperavam. Sabe quando você decide obedecer a Deus e a amá-lo e o resultado não é o que você esperava? Jesus é autêntico em oração.
II.A angústia da solidão – No Getsêmani, no lagar de azeite, Jesus se vê só. Quando se está angustiado parece estar ilhado. E isso muitas vezes realmente acontece. Jesus se volta para Seus amigos. Eles estão dormindo (v.40) – como os nossos, ou como nós muitas vezes quando estamos ocupados, ou distantes, ou preocupados. Muitas vezes você para de orar por causa dessa solidão. Temos medo de estar sós. Deus quer ter um encontro com você.

Quero dizer que é aqui que muitos cristãos que tem a oportunidade de avançar para um grau maior de intimidade com Deus retrocedem. Eles voltam para trás e deixam de orar de verdade.
Você faz um pedido a Deus e Ele responde com um “não” ou “espera”, logo, vem a frustração. É aqui que, sem querer, aprendemos a usar máscaras na nossa vida cristã e começamos a orar com rodeios porque a incredulidade e a frustração de orações não respondidas te fazem um desviado ou um cristão que frequenta a igreja porque acredita em Deus, porém, vivendo como um agnóstico, ou seja, com a boca você diz que ama a Deus, mas lá no fundo do coração, por causa das decepções da vida, com pessoas, com a igreja e da sua tentativa de buscar uma resposta em Deus, o que encontra é silêncio e ou um “não”, e isso fere o seu coração tornando Deus um ser distante ainda que perto. Você muitas vezes não quer admitir, mas está decepcionado com Deus e ora porque sabe que deve orar, mas não acredita muito que Deus responda as suas orações. Lá no fundo dizemos: “Orar para quê?”
Jesus hoje quer restaurar o seu coração, a sua fé e intimidade com Ele a despeito do que tenha acontecido em sua vida.

Orar do jeito certo é aprender a amar a Deus e a confiar Nele mesmo quando estamos angustiados por fazer a Sua vontade ou quando a resposta de Deus é um “não” ou um “espera”.

2.A verdadeira oração é submissa e dependente (v.39)
A oliveira é plantada com o propósito de dar o azeite ao homem. Quando seus frutos são colhidos, para que o propósito seja cumprido, ela precisa se submeter à vontade do homem no lagar.
Tenho aprendido ao longo de minha caminhada cristã que Deus faz a onda e eu apenas devo surfar sobre ela. Se submeter a Deus é pegar a onda. É saber que você foi plantado para dar um fruto e você também é este fruto que precisa se submeter a Deus para o cumprimento do seu propósito.
O que é orar? Orar é submissão a Deus. A verdadeira oração não é aquela que você acredita que vai mudar a Deus, mas é aquela que você é honesto com Deus, mas se mantém aberto a qualquer resposta de Deus. Faça como Jesus:
I.Você expressa sua vontade a Deus em oração (v.39) – Jesus disse ao Pai: “Afasta de mim esse cálice”. Jesus esboçou sua vontade. Ele não queria passar por aquela situação. Isso é orar a Deus sem máscaras e sem rodeios. Abraão orou pelo seu sobrinho Ló, quando Deus disse que destruiria Sodoma e Gomorra. Habacuque orou a Deus indignado com a maldade que imperava sobre Judá e a aparente passividade de Deus quanto àquela situação. Qual é a situação que você está passando hoje? Você apresentou a Deus em oração de verdade?
II.Você se submete à vontade de Deus em oração (v.42) – Jesus orou três vezes para que o Pai afastasse Dele o cálice da sua ira (Isaías 51:17). Porém, o surpreendente é que mediante o silêncio do Pai Jesus responde: “faça-se a Tua vontade”.

Aprendemos o seguinte: Se submeter à vontade de Deus não significa que não devo orar e pedir que Ele mude as situações atendendo ao meu pedido. Se submeter à vontade de Deus significa aprender progressivamente a enxergar as coisas do ponto de vista Dele. Submeta-se à vontade de Deus! Confie nos seus propósitos. A nossa oração tem poder de mudar as circunstâncias. Orar é mudar! Podemos orar para Deus intervir nas situações sim, entretanto, orar também significa mudança em nós. Abraão orou para que Deus poupasse seu sobrinho. Moisés intercedeu em favor do povo. Mas, também Jesus orou para o Pai afastar o cálice. Paulo orou para que o Pai sacasse o espinho da carne. Todos, enxergaram as coisas do ponto de vista Dele, mas isso é construído em intimidade.

3.A verdadeira oração é transformadora (v.36)
A oração é transformadora. Esse diálogo, essa proximidade junto ao Pai não nos deixa onde estamos. Quero que saiba que Deus tem uma vida vitoriosa para você. Entretanto, é necessário que se saiba que antes de vestes de louvor, há espírito angustiado (Isaías 61:3). Não há júbilo e colheita, sem pranto enquanto semeia. (Salmo 126:5-6). Não há alegria pela manhã, sem o choro da noite. Jesus escolhe orar em um lugar de transformação.  Não há azeite sem prensa. O azeite é fruto de transformação da condição. Deus quer lhe dar unção! Ele quer extrair esse óleo de nossas vidas. Ele muda a nossa condição. Ele nos transforma. Esse é o poder da oração! Deus quer extrair o azeite de você.
I.O azeite comunica alimento. (I Reis 17:14 – viúva de Sarepta). O azeite era usado para fazer alimentos. Nos alimentamos de Deus!  
II.O azeite comunica milagre. Tanto Elias (I Reis 17:14 – Viúva de Sarepta) quanto Eliseu (II Reis 4:1-7 – Viúva do profeta) viram Deus multiplicar o azeite de viúvas. É quando nos vemos diante das situações mais difíceis que Deus faz o seu milagre. Através do seu Getsêmani Deus quer multiplicar o teu azeite meu irmão e irmã. É nessa situação que Deus quer se revelar o Deus provedor de todas as coisas.
III. O azeite comunica preparação. (Mateus 25:1-13) Na parábola as dez virgens o azeite comunica preparação expectante para a volta de Jesus. As situações da vida nos podem nos manter em expectativa para a volta de Cristo.
IV.O azeite comunica intimidade. Eu vejo que o azeite comunica intimidade em dois aspectos: a)De Deus conosco (João 16:7) – Jesus é exprimido na cruz e derrama sobre nós o Seu Espírito. Um dos símbolos para o Espírito Santo é o azeite. Aprender a se submeter a Deus em oração é ser tomado pelo Seu Espírito. Ser submisso a Deus é ser cheio do Espírito Santo. Ele habitando plenamente em nós e nos guiando. b)Com a missão da igreja – Nós somos a luz do mundo. O azeite alimentava o candelabro todas as manhãs para iluminar o Lugar Santo. As igrejas do Apocalipse são chamadas de candeeiros (candelabros) Apocalipse 1:20. Tudo o que passamos tem o intuito de refletir a GLÓRIA DE DEUS!

Concluímos que a verdadeira oração é autêntica e espontânea, é submissa e dependente, e é transformadora. Se hoje você se vê no Getsêmani, o que Deus está falando com você agora?
Rodrigo Rodrigues Lima
Pastor

terça-feira, 18 de julho de 2017

VIDA DEVOCIONAL – VIDA SAUDÁVEL

VIDA DEVOCIONAL – VIDA SAUDÁVEL
Por Pr. Rodrigo Rodrigues Lima

"Começa! Designa uma parte de cada dia para exercícios privados...quer tenha prazer nisso ou não, estuda e ora diariamente. É para o benefício da tua vida. É para benefício da tua vida; não há alternativa: de outro modo tu permanecerás frívolo todos os teus dias." John Wesley

A vida devocional é uma necessidade para o filho de Deus. Ela é uma disciplina espiritual que leva o cristão a experimentar uma relação mais profunda com Deus.
A vida devocional se encaixa na disciplina da meditação e é diferente de estudo.
O processo que ocorre no estudo deve distinguir-se da meditação. Esta é devocional; o estudo é analítico. A meditação saboreará a palavra; o estudo a explicará.
Embora a meditação e o estudo muitas vezes se superponham e funcionem concorrentemente, constituem duas experiências distintas.

      1.      O que é a Vida Devocional?
A vida devocional é uma prática que você desenvolve com tempo, horário e local definidos para, por meio da Palavra de Deus, aprofundar sua relação com o Pai recebendo instrução por meio da meditação. A meditação na Palavra de Deus deve gerar uma atitude no coração que refletirá em um comportamento transformado. Na prática devocional através da meditação nas Escrituras, nos abrimos para ouvor a Deus e buscar mudança de vida de dentro do coração para fora nas atitudes.

      2.      Como deve ocorrer a Vida Devocional?

      a)      O conteúdo da vida devocional é a Palavra de Deus
Ler livros é muito importante. Entretanto, a vida devocional é pautada na Palavra de Deus. A meditação na Palavra de Deus é a base da vida devocional.
Muitos leem livros devocionais, mas não abrem a Bíblia para meditar. Se você não meditar na passagem bíblica, sua devocional ficará incompleta.

“Por isso, hoje, saberás e refletirás no teu coração que só o Senhor é Deus em cima no céu e embaixo na terra; nenhum outro há.” Deuteronômio 4:39

“Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.” Salmo 1:2

“Maria, porém, guardava todas estas palavras, meditando-as no coração.Lucas 2:19

       b)      Você precisa separar um local
A nossa maior referência para uma vida devocional é Jesus. Ele tinha o hábito de se retirar para orar e meditar. É preciso ter um local definido para fazer sua devocional. Esse local pode ser qualquer um desde que seja um ambiente que você separará para realizar sua vida devocional. Eu faço minha devocional no gabinete pastoral. Minha esposa faz em casa. Um amigo meu faz no trabalho em um período em que está mais tranquilo.

“Saíra Isaque a meditar no campo, ao cair da tarde; erguendo os olhos, viu, e eis que vinham camelos.” Gênesis 24:63

“Tendo-se levantado alta madrugada, saiu, foi para um lugar deserto e ali orava.” Marcos 1:35

      c)       Você precisa definir um horário
Assim como temos horário para as nossas refeições diárias e temos uma rotina em nossa agenda, a prática devocional só se tornará um hábito se tornando prioridade em nossa agenda com horário definido. Faço minhas devocionais pela manhã. Conheço pessoas que preferem fazer a tarde e outras que fazem a noite. É necessário definir um horário.

“Saíra Isaque a meditar no campo, ao cair da tarde; erguendo os olhos, viu, e eis que vinham camelos.” Gênesis 24:63

De manhã, Senhor, ouves a minha voz; de manhã te apresento a minha oração e fico esperando.” Salmo 5:3

“no meu leito, quando de ti me recordo e em ti medito, durante a vigilia da noite.Salmo 63:6

      d)      Faça anotações – Você aprenderá a discernir os tempos da sua vida
É importante que você registre o que Deus está falando com você através da sua Palavra. Eu tenho o hábito de registrar tudo o que medito na Palavra desde novembro de 2011. Estou no quinto caderno diário de meditação. Você consegue perceber o que Deus vem falando com você ao logo dos anos. Registrar o que Deus fala conosco e procurar discernir o que Ele está falando faz com que a devocional se torne prática em nossas vidas.

Havia em Israel uma tribo especializada em estudar os eventos do dia a dia para saber como agir. Deus tem isso para você. Estudar é o que nos faz discernir. Estuda-se o inimigo na guerra para saber como agir. “Dos filhos de Issacar, conhecedores dos tempos, para saberem o que Israel devia fazer...” I Crônicas 12:32
Perdemos muito por não estudar cada passo da nossa vida, interpretando-a através da Palavra de Deus.
Discernir o tempo significa estudar cada momento da nossa vida. Você já fez seriamente essa reflexão? Significa saber relatar, contar para alcançar coração sábio. “Ensina-nos a contar (relatar) os nossos dias, para que alcancemos coração sábio.” Salmo 90:12. O sábio sabe o tempo e o modo porque ele estudou e discerniu. “Quem guarda o mandamento (medita) não experimenta nenhum mal; e o coração do sábio conhece o tempo e o modo. Porque para todo propósito há tempo e modo” Eclesiastes 8:5-6
Encorajo que você comece a registrar o que Deus tem falado e feito em sua vida. Registre os eventos! Deus não fará nada através de você além daquilo que Ele está fazendo em você.
Aprenda a discernir os tempos (Eclesiastes 3:1-8) da sua vida através de uma vida devocional. Quem sabe discernir os tempos sabe entrar e sair. Sabe a hora de começar e parar sem frustrar-se. Não está esgotado com a vida e com o que faz. Ele vive o tempo oportuno sempre, o chamado Kairos de Deus. Ele sabe o tempo de plantar e o tempo de colher. Ele sabe o tempo e o modo porque aprendeu a ouvir e agir sob a direção de Deus.

      e)      Sugestão para uma leitura devocional mais prática
Procure identificar em sua vida, no momento atual que está vivendo, qual personagem bíblico ou qual livro da Bíblia se encaixa neste momento. Comece a fazer suas devocionais deste modo. Por exemplo, pessoas que estão em momentos de tomada de decisões podem fazer devocionais baseadas no livro de Neemias. Pessoas que estão enfrentando lutas no trabalho podem fazer devocionais baseadas na vida de José do Egito.

      3.      Cinco benefícios de ter um tempo diário com a Bíblia

       1)      Você encontrará a ajuda que precisa quando surgirem testes e provações;
       2)      Você caminhará tanto com os heróis quanto com os tolos da Bíblia;
       3)      Você começará a pensar como Deus pensa, de modo que possa responder como Ele responde;
       4)      Você evitará erros que têm custo muito alto, impedindo assim décadas de miséria;
       5)      Você crescerá em santidade continuamente e será vaso limpo e útil para toda boa obra.

      Clique aqui e veja como faço as minhas devocionais




quarta-feira, 12 de julho de 2017

Desejando a voz viva de Deus - Habacuque 1:1-4

Desejando a voz viva de Deus
Habacuque 1:1-4

O cenário em Judá é perturbador. Há uma intensa impiedade. O profeta preocupa-se com a aparente relutância de Deus em julgar, face ao pecado, à iniquidade, à opressão e à violência na sociedade de sua época. A lei se afrouxa, e a justiça nunca se manifesta porque o perverso cerca o justo. É no drama da vida, no dia a dia, que Habacuque deseja a voz viva de Deus, uma resposta aos seus anseios.
De semelhante modo, também estamos buscando respostas para os dramas da nossa vida. Na história de Habacuque Deus nos chama a aprendermos a ouvir a sua viva voz em meio aos momentos comuns da vida, seja na alegria, seja em momentos de decisões, seja nas aflições incompreensíveis da vida. “A verdadeira santidade não nos tira os homens do mundo, mas capacita-os a viver melhor nele e incita os empreendimentos que ajudam a restaurá-lo.” Para isso precisamos aprender a meditar na Palavra de Deus e interpretar a vida ouvindo a voz viva de Deus no dia a dia, quando acaba o gás, quando nossos filhos se casam, quando perdemos o emprego, quando mudamos de emprego, quando viajamos de um lugar para outro, quando ficamos enfermos, quando perdemos um ente querido, quando vamos liderar, quando vamos fazer discípulos, etc. Deus quer nos ensinar a desenvolver a capacidade de ouvir a Sua voz e obedecer à Sua Palavra mediante esses fatos da vida e do ministério. Isso é celebrar a vida de Deus! Isso é uma espiritualidade viva. Deseje ouvir a voz viva de Deus, pois, Ele está falando com você por meio de cada circunstância de sua vida e ministério. Percebemos que ao ouvir a voz viva de Deus, mais do que mudar uma circunstância, o Pai tem como propósito gerar em nós obediência e fidelidade. Ele muda a nós mesmos!

1.A voz viva de Deus desejada quebra o aparente silêncio, a incredulidade (Hc 1:2-4)
Há um clamor e um grito no coração de Habacuque. A justiça é torcida, pois, homens perversos controlam o sistema judiciário e derrubam decisões justas. É um grito de socorro com choro por desejar a intervenção divina na situação política e social daquela nação. Como Habacuque, muitos amargam o aparente silêncio de Deus. Você deseja ouvir a voz viva de Deus hoje? O aparente silêncio de Deus é prenúncio de que algo vai acontecer. Em Gênesis 1:1-2 revela que no meio do caos, quando Deus fala, tudo se ordena. Desejar ouvir a voz viva de Deus significa estar disposto a receber uma reordenação das coisas que não estão em ordem. A grande questão é que muitos não querem essa reordenação à maneira do Pai. Desejam ouvir a Deus, mas não estão dispostos a uma mudança na perspectiva do Pai. O nosso Deus põe ordem no caos. Para isso que serve a meditação, a vida devocional! Deus quer falar justamente no meio da tempestade e reordenar. Para o povo que esteve em cativeiro no Egito por 400 anos em clamor, veio o libertador e houve todo um processo nessa libertação de revelação de quem é Deus e como Ele trabalha. Nos 400 anos do período inter-bíblico, o próprio Deus se manifestou. O aparente silêncio de Deus é prenúncio de que algo vai acontecer, mas enquanto isso, algo nos impulsiona a Ele – o que quero dizer é: Se não fosse essa situação, Habacuque se aproximaria de Deus com grande clamor e busca?  

Ao ouvir a voz viva de Deus, mais do que mudar uma circunstância, o Pai tem como propósito gerar em nós obediência e fidelidade. Ele muda a nós mesmos!

2.A voz viva de Deus desejada traz respostas que nos levam a crises de crescimento (Hc 1:5;12-13)
I. Deus nos leva a uma crise de expectativas e nos forma de dentro para fora (v.5). A resposta de Deus a Habacuque é esquisita para um profeta que quer ver justiça. Deus quer trazer arrependimento a uma nação, porém, Habacuque só quer que Deus resolva o problema pontual da injustiça. Deus está chamando a uma nação ao arrependimento e ao crescimento espiritual. “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito diz o Senhor. Pensamentos de paz e não de mal para vos dar o fim que desejais.” Jeremias 29:11 Você já pediu a Deus intimidade, poder, unção e fé? Deus vai lhe dar intimidade, poder, unção e fé. Ele vai te desconstruir para te reconstruir. Ele te ama! Ele vai te levar por caminhos de crescimento. Me lembro do karatê-kids quando o garoto deseja aprender a lutar kung-fu. Então o professor manda ele pegar o casaco, pôr o casaco, tirar o casaco, pendurar o casaco e soltar. Esse processo deveria ser repetido diversas vezes. Até que o garoto perde a paciência, pois, acreditava que aquele movimento repetitivo fosse uma tremenda perda de tempo. Mal sabia ele que aqueles movimentos eram chaves na sua formação de kung-fu. As expectativas de Habacuque não compreendem, ou pelo menos não estão de acordo com as expectativas de Deus. Deus usa a situação para trabalhar dentro de você.
II. Deus nos leva a uma crise de fé (v.12-13). A fé é desenvolvida sob situações de crise. Saímos da zona de conforto da imaturidade para entrarmos no campo da fé madura e consistente e é aqui que a questão se torna crucial para aqueles que desejam verdadeiramente a voz viva de Deus. Essa crise de fé não é para fazer você sucumbir, mas para revelar o quão grande é o seu Deus. Deus nos tira da fé imatura e da espiritualidade raquítica que usa Deus para resolver problemas, para transformar você em um grande amigo Dele. Pessoas que ouviram a voz viva de Deus foram verdadeiros heróis da fé. “Homens dos quais o mundo não era digno” (Hebreus 11:38). Homens e mulheres que aprenderam a gerar pela fé! A viver pela fé! Aprenderam a essência da fé. Deus está conduzindo você a ouvir uma voz viva e verdadeira no meio das circunstâncias, desafios e bênçãos da vida! Suas convicções, seu modo de agir e pensar era permeado por apenas uma palavra: FÉ. Fé é dependência, é agir pela graça, é agir com os olhos no que não se vê e com convicção do que se espera Nele.

Ao ouvir a voz viva de Deus, mais do que mudar uma circunstância, o Pai tem como propósito gerar em nós obediência e fidelidade. Ele muda a nós mesmos!

3.A voz viva de Deus desejada revela os verdadeiros fiéis (Hc 2:1-4)
Até aqui muita gente já abandonou a fé, deixou a igreja, está mudando de igreja e procurando em pessoas e lugares o que só pode ser encontrado em Deus. Nesse momento de crise, muitos ficam pelo caminho, mas Habacuque não! A pessoa que deseja ouvir a voz viva de Deus através de uma vida devocional consistente e meditar sobre a sua vida com o olhar em Deus diante das circunstâncias, das bênçãos e desafios sempre estarão no mesmo lugar: “Na sua torre de vigia e vigiando para ver o que Deus dirá”.
I.Os verdadeiros fiéis amadurecem quanto a ouvir a voz de Deus (v.1). Muitos têm a tendência de buscar ouvir a voz viva de Deus somente e unicamente mediante a crise. Certamente, as crises nos aproximam mais de Deus. Mas, a maior beleza consiste em desejar ouvir a voz viva de Deus na crise, na benção, nos desafios, enfim, em todas as estações da vida, em todos os ciclos e momentos, pois, descobrimos que não meditar, não viver em constante conexão com a voz viva de Deus é pisar em lugares instáveis. Essa maturidade vem com as crises de fé.
II.Os verdadeiros fiéis sabem que a confiança em si traz a queda (v.4). Eles não viverão por si. Viverão descansando na fidelidade a Deus. Você líder irá frutificar porque vive pela fé e não na força do braço. Você vai tomar uma decisão, porém não a tomará sem a certeza de que ela glorifica a Deus. Você passará vitorioso pelas tribulações e confiante porque sabe onde está posta a sua fé. O justo não vive para si, mas por fidelidade a Deus. a) A fidelidade não depende do que Deus faz, depende de quanto entendemos nossa relação com Ele. b) A fidelidade é baseada em quem é Deus para nós. c) A fidelidade é uma decisão que nós tomamos. Eles decidiram ser fiéis. Veja comigo Hebreus 11:4-39.

Ao ouvir a voz viva de Deus, mais do que mudar uma circunstância, o Pai tem como propósito gerar em nós obediência e fidelidade. Ele muda a nós mesmos!

4.A voz viva de Deus desejada produz anseio por avivamento (Hc 3:2)
Ouvir a voz viva de Deus também é refletir nos feitos de Deus. Ouvir a voz viva de Deus também é relembrar os atos de Deus. Habacuque está dizendo aqui: “Faz novamente o que o Senhor fez em nossas vidas.” Relembrar o que Deus opera em tempos de crise, traz esperança! O propósito de Deus é que Ele se torne o único ponto de referência em sua vida de maneira que ouvi-lo não seja opcional, mas uma necessidade! Quando estamos no meio de uma crise podemos estar sem um ponto de referência. Qual é o seu ponto de referência? O nosso ponto de referência sempre será o Senhor e o que Ele faz. O fim de todas essas coisas igreja amada é que o nosso comportamento muda como resultado do encontro com o Deus vivo! A nossa maneira de se relacionar com Deus muda. A nossa maneira de se aproximar do Pai muda. Nosso coração é transformado desejando mais a Sua Presença e experiências com Ele. É com esse espírito que você deve fazer suas devocionais e meditar! A meditação gera em nós arrependimento e obediência. A obediência e a fidelidade é o fruto da meditação. Habacuque ouve a Deus não porque possui capacidade especial, mas porque estava disposto a ouvir a Deus e mudar! Isso é avivamento, isto é, a Palavra de Deus queimando o nosso coração e mudando os nossos hábitos.

Ao ouvir a voz viva de Deus, mais do que mudar uma circunstância, o Pai tem o propósito gerar em nós obediência e fidelidade. Ele muda a nós mesmos!

5.A voz viva de Deus desejada produz verdadeira adoração (Hc 3:17-19)
Habacuque começou cheio de interrogações. Habacuque termina cheio de exclamações! A vida daquele que deseja ouvir a voz viva de Deus muda de interrogações para exclamações. A vida daquele que deseja ouvir a voz viva de Deus muda de gritos e clamores para louvor e adoração. A vida daquele que deseja ouvir a voz viva de Deus deixa uma fé vacilante com expectativa no que Ele faz para uma fé convicta firmada em quem Ele é.
É por isso que insistimos que você tenha uma vida de meditação na Palavra de Deus através da vida devocional diária. Percebemos que a situação de Habacuque não muda, pois as circunstâncias permanecem as mesmas. Entretanto, Habacuque não é mais o mesmo após ouvir a voz de Deus.

Ao ouvir a voz viva de Deus, mais do que mudar uma circunstância, Deus tem como propósito gerar em nós obediência e fidelidade. Ele muda a nós mesmos!


Rodrigo Rodrigues Lima, Pastor

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Multiplicando a liderança - Joel Cominskey

Multiplicando a liderança
Introdução 
Joel Cominskey

Estamos vivendo a maior colheita de almas da história cristã. Está é a boa notícia. A ma noticia é que boa parte da colheita não foi feita e em muitos casos acaba se estragando por ser negligenciada. Em Joao 4:35 Jesus diz que os campos estão brancos. A sua ordem é que façamos discípulos e não ajuntamento de multidões. 

Gerar líderes
O segredo para que os frutos permaneçam não são as células, mas converter os membros das células em líderes. Do contrário, células podem ir vir, surgir e desaparecer. Nosso maior desafio é gerar líderes. 

Igrejas falham na colheita por não formar líderes
As igrejas não fazem a colheita pelo fato de terem grupos pequenos, mas pelo fato de não terem trabalhadores. Igrejas e células que não têm nenhum plano ou ação para formar líderes planejam, por omissão, perder a colheita. 

O trabalho essencial do líder de célula
Os líderes de células não são chamados essencialmente para formar e sustentar as células; seu trabalho fundamental é encontrar, treinar e enviar novos líderes. 

Células - estratégia de liderança
O modelo de células não é uma estratégia de grupo pequeno; é uma estratégia de liderança. O foco não é começar grupos nas casas, mas treinar um número cada vez maior de líderes que se importam. Se você for bem-sucedido nisso, sua igreja vai prosperar. 

A nossa arma secreta

A nossa arma secreta é desenvolver um exército de líderes comprometidos com a colheita. 

Retroceda para avançar - Apocalipse 2:1-7

Celebrando a Vida de Deus
Retroceda para avançar
Apocalipse 2:1-7

As sete cartas do Apocalipse apontam para o que é essencial e indicam o que funciona na vida com Deus. Vivemos uma era de muita superficialidade. Podemos dizer que a superficialidade é uma maldição do nosso tempo. Nos tempos de Jesus os fariseus possuíam a lei, mas a lei não os possuía. Não é diferente em nossos tempos. Há muito conhecimento, mas há pouca prática. Há muita verdade, mas pouca vida. Há muito orgulho do passado, mas pouca humildade no presente. Muitos estão como Moisés, como que colocando um véu sobre a face, para que não possam fixar os olhos no fim daquilo tem desaparecido, a beleza da glória de Deus em seus corações e ações (II Coríntios 3:13). Perdeu-se o brilho de Deus, mas não queremos admitir que não brilha mais.
Assim era a igreja de Éfeso. A igreja que perdeu seu primeiro amor. A igreja que não tinha mais a mesma paixão. A igreja que não celebrava mais a vida de Deus. Essa foi uma igreja desafiada a dar um importante passo para trás para avançar em direção a Jesus. Que passos são necessários para avançarmos rumo à Jesus? Como podemos resgatar a mesma paixão de outrora? Como nosso coração pode voltar a aquecer novamente?
Dê passos para trás para avançar rumo a Jesus. Volte a celebrar a vida de Deus como no início da sua fé.

1.Retroceda para avançar respondendo que só Jesus é o soberano em sua vida (v.1)
A cidade de Éfeso era uma das mais orgulhosas da Ásia Menor, a atual Turquia. Ela era conhecida como “a metrópole da Ásia” com aproximadamente 250.000 habitantes na época, sendo por sua proeminência, por sua superioridade, a capital dessa região. Possuía uma gigantesca biblioteca e um teatro que comportava em torno de 25.000 pessoas sentadas. Três grandes rotas comerciais cruzavam aquela cidade. De fato, ela possuía muitos motivos para se orgulhar. Era a cidade mais importante. Era uma região portuária importante.
Essa proeminência refletia sobre a igreja de Éfeso. A igreja de Éfeso se orgulhava de sua posição não apenas por estar estabelecida na metrópole da Ásia, mas possuía uma herança como “igreja-mãe”. Ela muito se orgulhava.
Vale observar que em cada carta endereçada a cada uma das sete igrejas, os atributos de Cristo são escolhidos de forma precisa e perfeita para tratar das necessidades da igreja à qual se destina. Portanto, visto que a igreja de Éfeso é a igreja-mãe, ela deve reconhecer que Cristo, não ela, tem as 7 estrelas na mão e anda nos meio dos 7 candelabros (v.1). Ele “conserva”, isto é, agarra na mão. Aqui o primeiro sinal de porque a igreja de Éfeso perdeu o primeiro amor. Aqui o primeiro sinal de porque podemos perder o nosso primeiro amor. O orgulho espiritual pode tomar lugar quando nos sentimos donos da nossa vida, da nossa família, da nossa igreja, enfim. Apenas Cristo é soberano. “Não digas, pois, no teu coração: A minha força e o poder do meu braço me adquiriram estas riquezas. Antes, te lembrarás do Senhor, teu Deus, porque é ele quem te dá força para adquirires riquezas; para confirmar a sua aliança, que sob juramento, prometeu a teus pais, como hoje se vê.” Deuteronômio 8:17-18; “Teu, Senhor, é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu Senhor, é o reino, e tu te exaltastes por chefe sobre todos. Riquezas e glória vêm de ti, tu dominas sobre tudo, na tua mãe há força e poder; contigo está o engrandecer e a tudo dar força.” I Crônicas 29:11-12;
Hoje Jesus te convida a dar um passo para trás o chamando a relembrar de como com mão forte Ele te livrou e te colocou na posição de filho de Deus.

2.Retroceda para avançar respondendo que precisa do mesmo fervor de antes no coração (v.2-3)
Os crentes de Éfeso eram sérios, atentos e zelosos. Sabiam separar a verdade do erro. Senão vejamos. Ao que tudo indica, a igreja de Éfeso foi plantada por Paulo e Áquila por ocasião da segunda viagem missionária de Paulo. Diz as Escrituras que “Quando chegaram a Éfeso, Paulo os deixou ali;” (Atos 18:19). Houve um período em que eles receberam Apolo, que era “homem eloquente e poderoso nas Escrituras [...] instruído no caminho do Senhor; e, sendo fervoroso de espírito, falava e ensinava com precisão a respeito de Jesus...” (Atos 18:24-25). Paulo, retornara a Éfeso (Atos 19:1) e ali na Escola de Tirano por três meses falava ousadamente, discutindo e persuadindo com a respeito ao Reino de Deus. Paulo tinha discípulos e por dois anos diariamente lhes falava da Palavra do Senhor. (Atos 19:8-10). Deus, pelas mãos de Paulo, fazia milagres extraordinários. Veio grande temor sobre todos eles, e o nome do Senhor Jesus era engrandecido. Muitos dos creram vieram confessando e denunciando publicamente as suas próprias obras. (Atos 19:11-19). Verdadeiramente essa igreja experimentou o poder da verdade de Deus. Paulo lhes alertou: “entre vocês se levantarão homens falando coisas pervertidas para arrastar os discípulos atrás de si. Portanto, vigiem, lembrando que, durante três anos, noite e dia, não cessei de admoestar, com lágrimas, cada um de vocês.” (Atos 20:30-31). Meus amados irmãos e irmãs, que lições preciosas aprendemos aqui nos versos 2 e 3 de Apocalipse 2? A queixa é a de que essa igreja perdeu o seu primeiro amor. Portanto, I) Um cristão pode ser devidamente instruído e Jesus conhecer sua perseverança, mas mesmo assim estar sem o mesmo fervor de antes no coração; II) Um cristão pode ser devidamente instruído e Jesus conhecer a sua obra, mas mesmo assim estar sem o mesmo fervor de antes no coração; III) Um cristão pode ser devidamente instruído e Jesus conhecer o seu trabalho, mas mesmo assim estar fervor de antes no coração; IV) Um cristão pode ser devidamente instruído e Jesus conhecer o seu zelo teológico e doutrinário, mas mesmo assim estar fervor de antes no coração.
A grande queixa de Jesus para com a igreja de Éfeso é que ela havia acumulado muito conhecimento correto, mas tinham uma carcaça vazia. Eles haviam se tornado como o artífice Demétrio quando agitou a multidão contra o evangelho e arrastaram Gaio e Aristarco, companheiros de Paulo ao teatro e diante de 25.000 pessoas dizendo “Grande é a Diana dos Efésios”, mas com ecos vazios. Muitos estão assim hoje. Esbravejam em nome da verdade “Grande é o Senhor”, mas por dentro estão vazios. Muito grito de experiências passadas, mas o presente está vazio de experiências vivas, gritos de conhecimento bíblico, mas pouco conteúdo em termos de vida transformada ou novas experiências com Deus. Hoje Jesus te convida a dar um passo para trás o chamando a relembrar de como você aliava piedade e competência. Trabalho e paixão! Mente esclarecida e coração aquecido.

3.Retroceda para avançar respondendo ao apelo de Jesus para celebrar a vida de Deus (v.4-5)
Jesus é muito enfático com esta igreja. Eles não estavam mais agindo por amor. Poderiam gritar uma causa, mas estavam vazios e frios por dentro. Em suma, um crer correto, uma boa teologia, mas que não gera uma atitude para com Deus e com o próximo é falsa religião. Se não tiver amor, nada adianta (I Coríntios 13:1-13). Mas, há uma solução. “Lembra-te” é muito mais do que trazer à mente, mas é agir de acordo com a lembrança. Lembrança inclui uma “atualização” da experiência original. Deus quer aperfeiçoar as nossas experiências antigas.
Isso aponta para uma característica da cidade de Éfeso. Era uma cidade portuária que lutava contra o assoreamento do porto. O assoreamento é o processo de acúmulo de detritos, areia, entulhos e outros materiais que interfere no leito dos rios impedido de portar todo o seu volume de água, e assim interferindo no transito das embarcações. É necessário fazer a limpeza. Há momentos na vida crista que precisamos retroceder para avançar. Voltar a ser o que era! Lembra-te, isto é, pare com a marcha para frente (sempre correndo), sempre ocupado. Pare! Volte à pura devoção. Volte àquele período inicial em que você lia a Bíblia com tanta fome e orava com tanta sede de Deus. Volte ao tempo em que você estava animado na fé. Arrepende-se da negligência do piloto automático. Retroceda para avançar.
O porto da alma está assoreado? No curso natural a vida tende a assorear. Mas tenho uma boa notícia para você! Jesus é o rio da vida. Podemos enfraquecer, desanimar na fé, mas Jesus é o mesmo! Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente. Ele quer que você volte a ter conexão com Ele! Ele é um rio que limpa, que restaura e ele quer fluir através de você limpando todo detrito e assoreamento de sua alma. Hoje Jesus te convida a dar um passo para trás o chamando a ao primeiro amor. Ele quer lhe dar novas experiências. Ele quer que você celebre a vida de Deus!

Jesus quer leva-lo a frutificar. A gerar filhos espirituais e a fluir com autoridade no ministério. Ele quer restaurar seu coração. A fim de continuar a sentir o que sentíamos e dar novas experiências de fé.

Rodrigo Rodrigues Lima, Pastor